MENSAGENS


Acesse o nosso site http://www.micaff.com.br


O Cristão e a Sexualidade


A sexualidade envolve o que há de mais íntimo na vida do ser humano. Dependendo do modo como é usufruída, ela tanto pode produzir resultados positivos quanto negativos, seja na área biológica, sociológica, psicológica ou espiritual.


Alguns líderes evangélicos não dão a devida importância que o assunto requer. Uns se recusam a falar sobre sexo porque acham que ele não tem nada a ver com os princípios do cristianismo, e, conseqüentemente, não teria nenhuma relevância. Já outros são tolhidos pela timidez ou acham-se incapazes de ensinar à sua igreja sobre o assunto.


E o resultado é que muitas vezes os problemas de relacionamento entre casais ficam sem solução ou geram separação, porque os cônjuges não receberam um ensino adequado, nem foram orientados sobre como deveriam agir em meio aos conflitos.


Existem crentes que, quando o assunto é sexo, defendem idéias absurdas. Dizem, por exemplo, que Deus criou o homem e permitiu que o diabo inventasse o sexo. Para uma grande maioria, a sexualidade está muito mais associada ao erro e ao pecado do que a algo bom, criado por Deus.


Porém, antes de julgar se o sexo é bom ou mau, precisamos saber quem o criou, com que finalidade ele foi criado e o que devemos fazer para tornar a sexualidade um relacionamento prazeroso.


Deus criou o homem e a mulher, e colocou órgãos genitais diferentes em cada um deles. Ele criou também os hormônios, que atuam na área da sexualidade masculina e são chamados de testosterona. Na mulher, estes hormônios são conhecidos como estrógeno. Deus criou na glande do pênis e no clitóris milhares de vasos sanguíneos, que armazenam uma grande quantidade de sangue para aumentar a sensibilidade. Em suma, Deus deu ao homem o desejo, a libido.


Deus criou o pênis no homem. Um tecido cavernoso que contém grandes espaços venosos, ligados por tecido fibroso revestido de pele. Deus criou os testículos, que são dois órgãos glandulares. Entre outras funções estes órgãos fabricam os espermatozóides e elaboram a testosterona.


Deus criou os canais ejaculadores, que são condutos formados pela união das vesículas seminais com os canais seminíferos. Deus criou o escroto, que é uma estrutura que encerra o testículo, o epidídimo, a parte inferior do canal deferente e o cordão espermático. E por fim Deus também criou as glândulas bulbo-uretrais. Estas segregam o sêmen, líquido que contém mucina, proteínas, água, sais minerais e cerca de 70 milhões de espermatozóides por centímetro quadrado.


Na mulher Deus criou um canal músculo-membranoso extremamente dilatável, medindo aproximadamente entre 8 e 9 centímetros de comprimento, chamado vagina. Deus criou nela os ovários, constituído por duas pequenas glândulas em forma de amêndoa, situadas na cavidade pélvica de cada lado do útero. A função dos ovários é produzir, desenvolver e amadurecer os óvulos. Eles também produzem pelo menos dois tipos de hormônios: estrogênio e progesterona.


Deus criou as trompas de falópio, tubos finos que se estendem da cavidade peritonial ao útero. Através delas os óvulos liberados dos ovários chegam ao útero. Deus criou o útero, que é um órgão muscular em forma de pêra, situado no centro da cavidade pélvica, atrás da bexiga. Durante a gravidez, o útero aumenta consideravelmente, atingindo um comprimento que ultrapassa 30 centímetros. Por fim Deus criou a vulva, que é o conjunto dos órgãos genitais externos.


Os desejos íntimos


Agora perguntamos: por que Deus criou estes dois órgãos genitais que acabamos de analisar? Será Ele um tipo masoquista que criaria no homem desejos naturais que não podem ser satisfeitos? Por que existem milhares de terminações nervosas no corpo do homem que faz com que a sensualidade seja despertada com um simples toque? Para que Deus criou tudo isso? Para brincar com os nossos sentimentos e as nossas emoções?


Deus criou a sexualidade no homem e na mulher para despertar neles a vontade de unirem os seus corpos e saciarem os seus desejos mais íntimos. A sexualidade mata no homem a fome de intimidade que ele tem.


(Trecho do livro O Cristão e a Sexualidade, do Pastor Silas Malafaia)



Como desenvolver o entre o casal.









 





ADBR – ITAIM PAULISTA : Publicado 18 março 2010.





 





Gn 2:18 – Lemos no capítulo 1 que tudo quanto Deus criara era “muito bom”. Aqui pela primeira vez constatamos algo que “não era bom’”.
Realmente não é bom que o homem fique sozinho. Uma auxiliadora foi criada por Deus para estar com ele. “Idônea”, ou, “aquela que lhe corresponde” ou “que está como diante dele”. Existem situações em que pessoas ficam sós.

O ideal da criação de Deus é que cada homem tenha sua esposa, cada mulher o seu marido. Gn 2:24 – Há três princípios sobre matrimônio neste texto:

1. 1. Deixar pai e mãe – Gênesis originalmente foi escrito na língua hebraica. No hebraico há um verbo forte aqui, com o sentido de “abandona”. Não somente deixar pai e mãe. É abandonar!

Obviamente que não há o sentido de desprezo nesta idéia. Mas, sim, de uma real separação. O ideal é que o novo casal more LONGE dos pais dele ou dela. Porque iniciam vida nova. O casal agora é uma família: seus pais são apenas parentes.

O casal aprende a resolver todos os seus problemas por si só. Sem a interferência “da barra da saia da mãe”. Suponhamos uma situação em que marido-mulher encontra-se em discordância ou problema. Ele ou ela procuram a “mãezinha”. O que essa mãe (ou sogra) responderá? Se for realmente sábia, dirá: “Não me conte nada! Volte para seu lar! Resolvam vocês mesmos!”.

2. 2. Une-se à sua mulher (união – O fator “UM”) – tal princípio vale para ambos: Ele & Ela. Porém a maior ênfase é ao homem. O marido se une à sua mulher. Este é o princípio da FOCALIZAÇÃO. Ele focaliza sua atenção NELA. Geralmente é mais comum que MULHERES focalizem sua atenção no lar. São elas que engravidam, amamentam… O marido é que tem que aprender que, casando-se, sua vida é a ESPOSA; sua vida são os filhos; o lar enfim. Seus pensamentos têm que estar 100 % voltados para o lar.

3. 3. Tornando-se os dois uma só carne – ambos uma só pessoa, na matemática de Deus 1 + 1 = 1. È uma linda semelhança com Deus: Deus é um, e ao mesmo tempo, TRÊS. O casal é um, e ao mesmo tempo duas pessoas.

Há um erro que as pessoas fazem ao dizer – “caso-me com fulano; dou 50% de minha vida a ele; ele me dá 50% também. Somados, somos um casal 100%. Erradíssimo. Se cada um dá só metade, a quem darão a outra metade? E na matemática de Deus, duas metades somadas resultarão num casamento pela metade.

O certo é: o homem inteiro (100%) doado à sua esposa;
A mulher inteira (100%) doada à seu marido;
Ambos somados dá exatamente 100%, nada menos, nada mais !


Gn 2:25 – estavam nus e não se envergonhavam ! Há dois sentidos para “estar nu”
Físico: (corpo, sexo, contato íntimo, carícias, etc.) – esta parte é objeto de um estudo especial a respeito. Sobre a benção do sexo, do íntimo contato matrimonial Mental: (conversa, relacionamento humano, sem segredo, sem barreiras!)

Estar nu, especialmente na MENTE: desnudam-se um perante o outro. Relacionamento saudável! Pois guardar segredos adoece o casal. Rancores guardados transformam-se em ressentimento com “mau cheiro”. È terrível um casal onde não existe liberdade de expressão, onde cada um não pode falar o que gostaria de falar!
Perante o cônjuge, abrimo-nos inteiramente. Não há barreiras, máscaras, nada. A mulher conhece cada defeito dele; as fraquezas e limitações de seu marido.

O homem conhece cada defeito dela; suas fraquezas e limitações. Isso é saudável.
Pessoas que não abrem seu coração a seu próprio cônjuge, ou, a ninguém, tornam-se neuróticas. Abrigam no próprio ser problemas que nunca se resolvem porque não são ventilados. Emboloram. Tornam-se ranzinzas e insatisfeitas. Como é bom ter alguém para desabafar, abrir o coração, falar tudo, ser compreendido! E esse é o melhor amigo (ou amiga) é o próprio cônjuge.

O amor

Perguntas:

1. 1. Como desenvolver o amor entre um casal ?

2. 2. O amor “apaixonado” de namorados continua na vida conjugal?

3. 3. Os anos de casamento fazem o amor crescer ou diminuir ?

Essas são as mais graves e importantes perguntas para um casal. Pois nelas se encerra toda nossa vida. O casamento depende do amor: nasce no amor, vive do amor, e sem amor o casamento acaba.

Dois lados: um triste, outro glorioso.
No Brasil, há alguns anos, uma estatística demonstrava: 40% dos casamentos terminam em desquite. Isso significa que em 10 casamentos feitos hoje, 4 se desfarão amanhã! E isso sem contar os casais que, embora “vivendo juntos”, não se compreendem, apenas “tolera-se”.

Um casal que se une realmente pela vontade de Deus, tem um amor CRESCENTE. O amor de namorados, depois de noivos, depois de lua de mel, vai se desenvolvendo. Quanto mais se passam os anos, maior é o amor conjugal! A compreensão, a ternura, a satisfação, tudo aumenta!

Como responder àquelas 3 perguntas acima ?

PRIMEIRO: o Amor vem de Deus.

“Aquele que não ama, não conhece à Deus, pois Deus é amor.” I Jo 4:8

“Amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascida de Deus, e conhece a Deus”. I Jo 4:7

“Se de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros”. I Jo 4:11
• • Só um casal que tem Deus no lar, é que tem o amor crescente. Pois Deus é quem sustenta, alimenta, desenvolve o amor!

• • Ilustração; um casal “quente”, “apaixonado”, pode ser comparado a um prato com comida quentinho. Tal prato é colocado sobre uma mesa. Passam-se 2 horas: está gelado.

Um outro casal, mesmo não tão “quente”, é como um prato com comida fria. Tal prato é colocado sobre a chapa de um fogão a lenha. Passam-se muitas horas: o prato se aqueceu e não esfria! Só um casal “em Jesus” é que não se esfria com o passar do tempo.
“… à imagem de Deus o criou, homem-mulher” – Gn 1:27.

“Deus nos predestinou para sermos CONFORMES À IMAGEM DE SEU FILHO…” – Rm 8:29

- Só duas pessoas que TEMEM A Deus é que são transformadas à própria imagem de Deus. Faz parte desta “figura” divina implantada no casal, o AMOR.

SEGUNDO: o amor não é “paixão”

Há um provérbio popular que faz uma caricatura do casamento: ” O amor é uma flor roxa que nasce no coração do trouxa ! “

Amor-paixão é assim mesmo: imaturo, infantil, irracional, errado. Pega fogo num minuto, noutro já apagou. Esse o “amor” que levam muitos a um casamento apressado, infeliz, fracassado.

Fp 1: 9 e 10: “e também faço esta oração: que o vosso Amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda percepção, para aprovardes as coisas excelentes…”

Amor é CONHECIMENTO. Conhecimento tem a ver com nossa capacidade de decisão: nós somos capazes de “tomar a decisão de amar”.

“Amar” não é ser “arrebatado” por um sentimento irracional por um fulano qualquer.
“Amar” (amor verdadeiro) é DECIDIR amar alguém. È conhecer a pessoa e adquirira a habilidade de perceber se essa é a pessoa certa para o casamento. Perceber “aprovar as coisas excelentes”.

TERCEIRO: A amor de Deus é ÁGAPE

O idioma original do Novo Testamento, o grego, possui três palavras para o termo em que em português define-se apenas como “amor”.
Em grego as 3 palavras são:
• • Eros: “amor erótico”. É o amor mais baixo. Egoísta, individualista. Diz respeito ao sexo também – mas abrange mais do que isso. É o amor que só quer ganhar receber, e não quer dar nada.

• • FILIA – “amor familiar” – É “amar a quem ama”, é gostar só de quem gosta de mim. É só fazer o bem a quem também possa me ajudar.

• • ÁGAPE – “amor sacrifical” – Este foi o amor que levou Jesus a morrer pela humanidade. Este é o amor que um casal deve ter: cada um “morrer pelo companheiro”. Dar tudo. Sacrificar-se.

QUARTO: o amor deve ser cultivado

No namoro há coisas características e peculiares:
- beijos – segredos – bilhetes – flores – perfume – carícias – surpresas – cartinhas – presentes – etc.

Por que tudo isso não continua na vida conjugal??????
Uma moça, no namoro, se enfeita toda para encontrar-se com o “amado”. Depois casa-se com ele. Não se enfeita mais, e desanda a engordar. Não cultivou o amor. Um rapaz dá flores à namorada, bilhetes, etc. Casa-se com ela. Não dá mais rosas nem cartinhas. Não está cultivando o amor.

O romantismo do namoro deve ser preservado, cultivado, cuidado, como se fosse uma plantinha delicada que sem água seca logo. As coisas mais “FÚTEIS”: beijinhos, carinhos, palavras românticas, etc. são as mais importantes para um casal se amar sempre!















 
















Publicado : Terça-feira, 08 Março 2010.



 









 






01.Elas – Mara Lima
02.Mulheres de Deus – Vanilda Bordieri
03.Mulheres – Celia Sakamoto
04.Privilegiadas – Rose Nascimento
05.Elas Não Param de Orar – Elaine Silva
06.Mulher de Deus – Georgete Rocha
07.Mulheres de oração – Gladslayne
08.Milhares de mulheres – Vanilda Bordieri
09.Mulheres Avivadas – Celia Sakamoto
10.Mulher, Por que chorar – Alda Célia
11.Balsamo de maria – Pollyana Sampaio
12.Dá-me filhos – Fernanda Brum
13.Homens e Mulheres do céu – Ludmila Ferber
14.Poder e fé – Rose Nascimento
15.Mulher de oração – Sofia Cardoso
16.Uma mulher, um Milagre – Bruna Karla
17.Mulher Samaritana – Cristina Mel
18.História de Ana – Ariely Bonatti
19.Sangue do Cordeiro – Rose Nascimento
20.Quem é essa mulher no espelho – Fernanda Brum






Baixe aqui voz



 






baixe aqui playback



 






 



 






Publicado : Quinta-feira 04, março de 2010.











































 






Professor se encontrou com um grupo de jovens que falava contra o casamento. Argumentavam que o que mantém um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga, em vez de se submeter à triste monotonia do matrimônio. O mestre disse que respeitava sua opinião mas lhes contou a seguinte história:



 






Meus pais viveram 55 anos casados. Numa manhã minha mãe descia as escadas para preparar o café e sofreu um enfarte. Meu pai correu até ela, levantou-a como pôde e quase se arrastando a levou até à caminhonete.



 






Dirigiu a toda velocidade até o hospital, mas quando chegou, infelizmente ela já estava morta.



 






Durante o velório, meu pai não falou. Ficava o tempo todo olhando para o nada. Quase não chorou. Eu e meus irmãos tentamos, em vão, quebrar a nostalgia recordando momentos engraçados.



 






Na hora do sepultamento, papai, já mais calmo, passou a mão sobre o caixão e falou com sentida emoção:



 






— Meus filhos, foram 55 bons anos… Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não tem ideia do que é compartilhar a vida com alguém por tanto tempo.



 






Fez uma pausa, enxugou as lágrimas e continuou:



 






— Ela e eu estivemos juntos em muitas crises. Mudei de emprego, renovamos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade. Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos concluírem a faculdade, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiam. Oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, trocamos abraços em cada Natal, e perdoamos nossos erros… Filhos, agora ela se foi e estou contente. E vocês sabem por quê? Porque ela se foi antes de mim e não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só depois da minha partida. Sou eu que vou passar por essa situação, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim…



 






Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas. Nós o abraçamos e ele nos consolava, dizendo: “Está tudo bem, meus filhos, podemos ir para casa”.



 






E, por fim, o professor concluiu: “Naquele dia entendi o que é o verdadeiro amor. Está muito além do romantismo, e não tem muito a ver com o erotismo, mas se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas”.



 






Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar. Pois esse tipo de amor era algo que não conheciam. O verdadeiro amor se revela nos pequenos gestos, dia-a-dia e por todos os dias. O verdadeiro amor não é egoísta, não é presunçoso, nem alimenta o desejo de posse sobre a pessoa amada.



 






Fonte:www.icrvb.com



 






                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       



 






É errado romper um noivado?






Redação – 02/03/2010.







































 






Acontece com uma certa frequência, e muitos consideram normal desistir do casamento durante o período que conhecemos como noivado. Mas, outros têm perguntado se não seria pecado cancelar o casamento depois de ficarem noivos.



 






O noivado, como normalmente entendido na cultura atual, é uma expressão de intenção que quase sempre termina no casamento. Não é visto pelo governo como um contrato fechado, tanto que os dois continuam solteiros independentes até o casamento. Terminar o noivado não exige nenhum processo legal parecido com o divórcio. No geral, as pessoas entendem o noivado como uma afirmação de intenção, mas entendem que este período é um tempo para se preparar e refletir sobre a seriedade do compromisso do casamento.



 






No compromisso mais sério nos tempos bíblicos, quando os homens “desposavam” as mulheres como um passo para o casamento, ainda existia a possibilidade de terminar, como José pretendia fazer com Maria (Mateus 1:18-19).



 






Mesmo quando se trata de contratos legais, o Antigo Testamento aconselhava os fiéis a procurar uma saída honesta dos compromissos irrefletidos que trariam prejuízo (Provérbios 6:1-5). A solução foi pedir que a outra parte livrasse a pessoa do seu compromisso. É normalmente entendido que qualquer dos dois pode pedir cancelamento do noivado. Enquanto não firmar o compromisso do casamento, existe a possibilidade de terminar.



 






Antes de casar, ou até antes de ficar noivo, deve pensar bem nas implicações deste passo na vida. O casamento é para a vida toda: “Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal” (Romanos 7:2).



 






Há muitas coisas que devem ser examinadas antes de se casar, mas vamos resumir as questões em duas:



 






-Você está realmente preparado para assumir o compromisso do casamento e ser absolutamente fiel durante toda a sua vida?



 






-A pessoa com quem você quer casar está preparada para assumir e cumprir este mesmo compromisso?



 






Se respondeu “não” para uma ou duas perguntas, não se case!



 






“Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado” (Provérbios 19:2).



 






Fonte: http://www.estudosdabiblia.com.br



 






Redação – 02/03/2010.



 






_____________________________________________________________



 
























 






: educar é preciso



 






Há um consenso cada vez maior da importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos. Isso não é resultado de nenhum “achismo”, mas são estudos, como o da Unicef, que mostram que o envolvimento dos pais pode contribuir para melhorar o desempenho escolar de seus filhos. Por outro lado, essa participação é ainda muito tímida, os pais têm delegado às escolas, na larga maioria das vezes, a função de educar seus filhos, o que é um grande equívoco. Há um sábio provérbio africano que diz “É preciso toda uma aldeia para educar uma criança”.



 






Sem a participação efetiva dos pais fica difícil acelerar o tempo para que a educação brasileira possa melhorar, de forma que as nossas crianças e jovens não apenas passem pela escola mas que, de fato, aprendam.



 






O movimento Todos pela Educação sabe que ainda é preciso colocar uma maior força na mobilização social pela causa da educação, que não só irá repercutir numa maior participação dos pais na educação dos filhos, como também em tornar a educação a prioridade número um dos brasileiros. Numa pesquisa realizada pela IBOPE/CNI, em 2007, por solicitação do movimento, mostrou que a educação ocupa a 6° prioridade entre os brasileiros, e que 72% dos pais estão satisfeitos com a qualidade da educação oferecida aos seus filhos. Isto é preocupante se levarmos em conta que, apesar dos avanços recentes, o Brasil, em comparação aos países mais avançados, está muito distante em termos de aprendizado desejável de seus alunos, como revelam os resultados do PISA-Programa Internacional de Avaliação de Desempenho.



 






Como envolver e sensibilizar os pais nessa importância tarefa não é algo simples, em se tratando de um país tão desigual e de tamanho continental. Para contribuir nessa tarefa, o Ibope, em parceria com o Todos pela Educação e  Fundação SM, realizou uma nova pesquisa com os pais. Desta vez, o objetivo maior foi saber como os pais avaliam a educação brasileira, os principais desafios e os aspectos mais importantes para melhorar a qualidade da educação. O resultado dessa pesquisa revelou vários aspectos interessantes, que podem contribuir na elaboração de políticas públicas para a educação que contemplem, por sua vez, uma maior participação dos pais. Por exemplo, um em cada dez entrevistados declarou que manter os professores motivados e garantir que sejam competentes é o que há de mais importante para assegurar a boa educação.



 






Como segundo aspecto vinculado ao direito pela educação, destaca-se a obtenção de vagas em creches  nas demais etapas da educação básica, seguido de perto pelo acesso ao transporte escolar, assim como a necessidade de reforço escolar para os alunos com dificuldades de aprendizagem. Por outro lado, o fato de seu filhos estar ou não aprendendo, assim como o cumprimento dos 200 dias letivos, são os aspectos que menos preocupam os pais. Isso é bastante preocupante, pois não adianta matricular, frequentar e não aprender. O direito a aprendizagem deve ser o resultado dos demais direitos vinculados à boa educação. Esse resultado mostra a necessidade de se estabelecer campanhas nacionais em prol desse nobre direito, pois será ele que irá garantir um futuro melhor para todas as crianças e jovens de nosso país.



 






Fonte: Suplemento especial, Volta às Aulas, do jornal Correio Braziliense.



 






                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       



 






Redação: 26/02/2010 



 






Namoro, noivado e casamento






Introdução:






Deus ao criar o homem e a mulher, deu-lhes todas as condições para serem felizes, na sua sabedoria, lhes proveu dos órgãos necessários para o desempenho de todas as suas atividades, inclusive a reprodução de sua espécie.



 






01 – Considerações gerais:



 






a) Sobre o namoro:
Várias definições tem sido dadas a “namorar”, como:
Galanteio, atrair, chamar a atenção, porém o sentido mais real é “inspirar amor”.



 






OBS. O namoro não deve jamais ser um passatempo, mais o inicio da procura de uma companheira(o) para a jornada da vida. Vale a pena lembrar que jovem cristão deve pedir a confirmação de Deus para o namoro, se o namoro é ante-sala do casamento como seria um namoro sem a confirmação de Deus?



 






b) Sobre o noivado:
O noivado é metade do caminho entre o namoro e o casamento, antes de tudo o noivado é um ato sério. O noivado é um compromisso social, esse compromisso os jovens assumem diante de suas famílias.



 






c) Sobre o casamento:
O casamento é a união física e espiritual entre duas pessoas de sexo opostos, desse ato resulta o lar, que é a mais antiga instituição da raça humana.



 






02- Perguntas acerca de namoro, noivado e casamento:



 






a) Com que idade um jovem pode namorar?
Assim que uma criança vai chegando a adolescência, começa a ser impulsionada pelo desejos da mocidade. Passa a ser influenciada pelos colegas, só que todos esses desejos podem ser controlados, se o jovem for convertido, gostar de ler a Bíblia, freqüentar os cultos na Igreja etc…
a-1 quando tiver maturidade, (personalidade formada)
a-2 quando tiver preparado para enfrentar o casamento
a-3 quando for dirigido pôr Deus nesta direção



 






b)Como descobrir a vontade de Deus no namoro?
b-1 Deus se preocupada conosco em todas as aspectos da nossa vida, por isso devemos buscar a sua vontade.
b-2 não namore antes de orar.
b-3 dialogue com o desejado(a) e oram juntos.
b-4 não faça comentários antes da certeza
b-5 Deus pode te falar de várias maneiras, a maneira mais prática é quando as circunstâncias passam a ser favoráveis e você passa a Ter uma tranqüilidade em relação a pessoa amada. (cuidado com profetas casamenteiros, espírito de santo Antônio).



 






c) O que devo fazer para que o namoro produza edificação espiritual em nós?
c-1 o namoro que busca edificação espiritual firma-se sobre o ideal do casamento.
c-2 deve evitar certas intimidades físicas, para que não entristeças o espírito de Deus (Ef 4.30)
c-3 os jovens namorados devem orar juntos e compartilhar os seus ideais juntos.
c-4 lembre-se somos luz do mundo e o namoro do cristão é diferente do mundo.
c-5 tudo que fizer deve glorificar a Deus (1Co 10.31), e com ordem e decência (1Co 14.40)



 






d) Existem regras para orientar o namoro cristão?
O casamento foi instituído pôr Deus, e para que tudo seja feito certo, precisa seguir as regras do Senhor.
d-1 o jovem cristão não deve namorar pôr passatempo.
d-2 não deve namorar com descrente (2Co 6.14-18)
d-3 só deve namorar com objetivo de casar-se
d-4 o namoro do crente deve ser conduta cristã, com responsabilidade e maturidade.
d-5 não passem muito tempo a sós (zona de perigo)



 






e) Quando dois jovem devem e podem torna-se noivos?
e-1 quando estivem certos de que estão na vontade de Deus.
e-2 quando estiverem preparados psicologicamente para isto.
e-3 quando estiverem se compreendendo razoavelmente, nunca devem ser influenciados pôr terceiros.
e-4 quando acertarem devidamente com os pais.
e-5 quando estiverem na rota do casamento, isto é, logo após o noivado, devem-se preparar materialmente para isto.



 






f) quando dois jovem devem pensar no casamento?
Desde o momento em que se tornam namorados. Mas o noivado não deve demorar muito, não ultrapasse dois anos pôr exemplo. O tempo do noivado deve ser preparação constante para o casamento. Mesmo que demore um pouco, mais não pode fugir do objetivo.



 






03- Observações acerca dos desejos da mocidade:



 






Namoro não é flerte nem passatempo.



 






a) o cuidado e vigilância nesse período é muito importante, lembre-se o estímulo do homem é visual, e na mulher é através do tato.
b) Mulher é mais auto-controlável, não se deve estender à caricias (Pv 20.21).
c) Jovem a sua firmeza lhe permitirá um lar feliz, por todos os anos de sua vida, o próprio rapaz lhe depositará confiança.
d) Valorize-se não se vulgarize como mercadoria barata.
e) Sempre verifique se é amor ou paixão “apetite desordenado”



 






OBS.:
- amor é controlado – paixão não
- amor busca realidade – paixão não
- amor procura dar mais do que receber – paixão não
- amor cresce – paixão não
- Paixão não correspondida transforma-se em ódio (paixão não serve para matrimonio).
- Amor é gostar do outro(a) com defeitos que ele(a) tem.



 






04- Outras observações necessárias



 






a) É pecado Ter impulso sexual?
Não! Claro que não.
O impulso sexual é atração normal de um sexo pelo outro. É uma energia poderosa dentro do ser humano. Porém não é pecaminoso, a não ser se for correspondido. Foi Deus que fez o sexo e nos fez com estes impulsos.



 






- O sexo na Bíblia: (uma dádiva divina)
- Frutificai e multiplicai (Gn 1.28)
- O que fez era bom (Gn 1.31)
- Jesus confirmou no novo testamento (Mt 19.4-6), se fosse coisa ruim não teria criado nem confirmado.



 






b) A realidade mais importante da Igreja:
b-1 Nossos princípios (1Pe 1.15,16; 1Rs 21.1-3)
b-2 Santidade em tudo (1 Ts 5.22,23), espírito, alma e corpo.



 






c) Perigos da orientação mundana.
c-1 Livros sem vida que mistura ciência com conceitos extra- bíblicos, status, playboy, ele e ela e etc…
c-2 Afaste-se destas revistas
c-3 Evitar aceitar informações de colegas que contam façanhas nesta área, é uma maneira sutil do diabo lhe enganar.
c-4 Saiba escolher suas amizades e companheiros verdadeiros (1Co 15.33), “PLATÃO, diga-me com quem tu andas e direi quem tu és”
c-5 Seja bem informado(a) pela palavra de Deus (1Co 6.20)
c-6 Submissão total ao Espírito de Deus (Ef 5.18)
c-7 Os impulsos precisam ser controlados (2Tm 2.22)



 






CONCLUSÃO:



 






O amor de Cristo também é fundamental, a esperança de sua vinda, Ele próprio quem valoriza o matrimonio com uma profecia da união do noivo com a igreja (Ef 5.32).



 














 


















 






Tropecei em um estranho que passava e lhe pedi perdão.






Ele respondeu: “Desculpe-me, por favor.”






“Eu que peço. Também não a vi.”






Fomos muito educados, seguimos nosso caminho e nos despedimos.






Mais tarde, eu estava cozinhando e meu filho estava muito perto de mim.






Ao me virar quase esbarro nele. Imediatamente gritei com ele; ele se retirou sentido, sem que eu notasse quão dura que lhe falei.






Ao me deitar Deus me disse suavemente: “Você tratou a um estranho de forma cortês, mas destratou o filho que você ama. Vá a cozinha e irá encontrar umas flores no chão, perto da porta. São as flores que ele cortou e te trouxe: rosa, amarela e azul. Estava calado para te entregar, para fazer uma surpresa e você não viu as lágrimas que chegaram aos seus olhos.”






Me senti miserável e começei a chorar. Suavemente me aproximei de sua cama e lhe disse:






“Acorde querido! Acorde! Estas são as flores que você cortou para mim?”






Ele sorriu e disse:






“Eu as encontrei junto de uma árvore, e as cortei, porque são bonitas como você,






em especial a azul.”






“Filho, sinto muito pelo que disse hoje, não devia gritar com você.”






Ele respondeu: “Está bem mamãe, te amo de todas as formas.”






“Eu também te amo e adorei as flores, ela disse, especialmente a azul…”






————————






Entenda que se você morrer amanhã, em questão de dias a empresa onde você trabalha cobrirá seu lugar. Porém, a Família que deixamos sentirá a perda pelo resto da vida.












Pense neles, porque geralmente nos entregamos mais ao trabalho que a nossa Família.












Será que não é uma inversão pouco inteligente?






 






_____________________________________________________________________






O Propósito de Deus para a Família.






9 09UTC Fevereiro 09UTC 2010 · Deixe um Comentário














“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” (Salmo 127:1). 



 






Deus nos criou e designou o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas. Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelo conflito e arrasadas pela negligência e o abuso. O divórcio tornou-se uma palavra comum, significando miséria e dureza para os múltiplos milhões de suas vítimas. Muitos homens jamais aprenderam a ser esposos e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papéis dados por Deus. Pais que não têm nenhuma idéia de como preparar seus filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes. Outros simplesmente abandonam seu dever, deixando filhos sem qualquer preparação ou provisão. 



 






Para muitas pessoas, hoje em dia, a frase familiar e confortadora “Lar, Doce Lar” não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada doce ou seguro num lar onde há o abuso, a traição e o abandono. 



 






Haver  uma solução? Poderemos evitar tais tragédias em nossas famílias? Poderão os casais jovens manter o brilho do amor e do otimismo décadas depois de fazerem os votos no casamento? Haverá esperança de recuperação dos terríveis erros do passado? 



 






A resposta para todas estas perguntas é SIM! As soluções raramente são fáceis. A construção de lares sólidos não acontece por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos que ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra. Consideremos brevemente alguns princípios básicos ensinados na Bíblia sobre a família.
 



 






O Propósito Básico de Deus para a Família






Quando temos dificuldade com a geladeira, entendemos que o fabricante, que escreveu o manual do usário, sabe mais sobre o aparelho do que nós. Lemos o manual para resolver o problema. Quando vemos tantos problemas nas famílias de hoje, só faz sentido que nosso Criador, que escreveu o “manual do usuário”, sabe mais a respeito da família do que nós. Precisamos ler o manual para achar como construir e manter bons lares. Encontramos estas instruções na Bíblia. Ela nos guia em cada aspecto do serviço a ele, incluindo a realização de nossos papéis na família. 



 






  



 






A família começa com o casamento. Quando Deus criou Adáo e Eva, ele revelou seu plano básico para o casamento: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gênesis 2:24). Este plano é claro. Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus. Ele citou este versículo e acrescentou: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6). Este casamento é uma relação para toda a vida. Somente a morte deve cortar este laço (Romanos 7:1-3). 



 






Deus aprovou as relações sexuais somente dentro do casamento. Não há nada de mal ou impuro sobre as relações sexuais dentro de um casamento aprovado por Deus (Hebreus 13:4). Esposos e esposas têm a responsabilidade de satisfazer os desejos sexuais (dados por Deus) aos seus companheiros (1 Coríntios 7:1-5). 



 






Todas as outras relações sexuais são sempre e absolutamente erradas. Relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são absolutamente proibidas por Deus (Romanos 1:24-27; 1 Coríntios 6:9-11). Deus não criou Adão e João. Ele fez uma mulher, Eva, como uma parceira apropriada para Adão. As relações sexuais antes do casamento, mesmo entre pessoas que pretendem se casar, são condenadas por Deus (1 Coríntios 7:1-2, 8-9; Gálatas 5:19). As relações sexuais extra-conjugais são também claramente proibidas (Hebreus 13:4). 



 






  



 






Casais assim unidos diante de Deus pelo casamento gozam o privilégio de terem filhos. Deus ordenou a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos (Gênesis 1:28; 9:1). Ainda que nem todas as pessoas tenham que se casar, e que nem todas terão filhos, é ainda o plano básico de Deus que os filhos nasçam dentro de famílias, completas com pai e mãe (1 Timóteo 5:14). Em lugar nenhum da Bíblia encontramos autorização para uma mulher ter relações sexuais para conceber um filho, antes ou sem casamento. A paternidade solteira, que está se tornando moda em nossa sociedade moderna é um afastamento do plano de Deus que terá  sérias conseqüências para as gerações vindouras.
 



 






Papéis Dados por Deus Dentro da Família






Dentro desta estrutura do propósito Divino, consideremos os papéis que Deus atribuiu aos homens, mulheres e filhos. 



 






  



 






A responsabilidade dos esposos é bem resumida em Efésios 5:25: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela”. O esposo tem que colocar as necessidades de sua esposa acima das suas próprias, mostrando devoção desprendida aos melhores interesses da “parte mais frágil” que necessita da sua proteção. Ele tem que trabalhar honestamente para prover as necessidades da família (2 Tessalonicenses 3:10-11; 1 Timóteo 5:8). 



 






Os pais são especialmente instruídos por Deus para preparar seus filhos na instrução e na disciplina do Senhor (Efésios 6:4). Este é um trabalho sério e, às vezes, difícil, mas com resultados eternos! Os espíritos de seus filhos existirão eternamente, ou na presença de Deus ou separados dele. A maior meta de um pai para seus filhos deveria sempre ser a salvação eterna deles. 



 






  



 






Uma esposa tem um papel muito desafiador no plano de Deus. Ela tem que complementar seu esposo como uma auxiliar submissa, que partilha com ele as experiências da vida. As pressões da sociedade moderna para rejeitar a autoridade masculina não obstante, a mulher devota aceita seu papel como aquela que é cuidadosamente submissa ao seu esposo (Efésios 5:22-24; 1 Pedro 3:1-2). As mulheres de hoje em dia que rejeitam este papel dado por Deus estão na realidade difamando a palavra dele (Tito 2:5). 



 






Deus instrui as mulheres para mostrarem terna afeição aos seus esposos e filhos, e a serem honestas e fiéis donas de casa (Tito 2:4-5). Apesar dos esforços de algumas pessoas para desvalorizar o papel das mulheres que são dedicadas a suas famílias, Deus tem em alta estima a mulher que é uma boa dona de casa e uma amorosa esposa e mãe. Tais mulheres devotas são também dignas de respeito e apreciação de seus esposos e filhos (Provérbios 31:11-12,28). 



 






  



 






Deus também definiu o papel dos filhos. Paulo revelou em Efésios 6:1-2 que os filhos deverão: 



 






1. Obedecer a seus pais. Deus colocou os pais nesta posição de autoridade e os filhos têm que respeitá-los. Muitas pessoas consideram a rebeldia de uma criança como uma parte comum e esperada do “crescimento”, mas Deus coloca-a na lista com outros terríveis pecados contra ele (2 Timóteo 3:2-5). 



 






2. Honrar seus pais. Os pais que sustentam, instruem e preparam seus filhos devem ser honrados. Jesus mostrou que esta honra inclui prover as necessidades dos pais idosos (Mateus 15:3-6).
 



 






Lares Piedosos Nestes Dias?






É, freqüentemente, muito difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias construídas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Temos que estudar a Bíblia, aprender estes princípios, aplicá-los em nossas vidas, e ensiná-los aos nossos filhos e aos outros. Lembre-se, os benefícios serão eternos! 



 






Você está construindo seu lar sobre a fundação da palavra de Deus? 



 






- por Dennis Allan 



 






Filhos: Seguidores Obedientes 



 






Mulheres: Esposas e Mães 



 






Homens: Esposos e Pais 



 






Filhos 



 






Casamento 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










Ministério de Casais: O Prazer chamado Casamento






9 09UTC Fevereiro 09UTC 2010 · Deixe um Comentário














 



 










O Prazer Chamado Casamento 



 






 Introdução: Sexualidade do cristão: Creio ser este um dos temas mais difíceis de ser abordado.  Nem tanto Por sua complexidade, que não negamos, mas muito mais pelos tabus e preconceitos, que circundam este tema.  Neste estudo tentaremos laçar um pouco de luz, sobre este tema, a luz da palavra de Deus, a fonte do verdadeiro prazer. 



 






I. Uma triste estatística:
A revista Newsweek no mês de junho trouxe, como matéria de capa, uma reportagem bastante interessante.  “Sexo.: Não!  Somos casados”, era a chamada para o artigo principal.  Pesquisas, segundo a Newsweek, apontam que 113 milhões de casais americanos estão tendo uma vida sexual medíocre.  De 15 a 20% dos casais têm, não mais, do que 10 relações sexuais por ano. 



 






No Brasil, os números não devem ser muito diferentes.  Muitos casais Tem vivo desta forma medíocre.  Por quê? 



 






II. O que a Bíblia fala sobre sexo:
Deus diz NÃO a…
· Relacionamento sexual fora do casamento Fujam da imoralidade sexual.  Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo”.
1 Coríntios 6.18 · Relação sexual com um membro da família “’Ninguém poderá se aproximar de uma parenta próxima para se envolver sexualmente com ela.  Eu sou o Senhor.’” – Levíticos 18.6 · Relação sexual entre pessoas do mesmo sexo “Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus?  Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.” – 1 Coríntios 6.9-10 · Relação sexual com animais – bestialidade “’Se um homem tiver relações sexuais com um animal, terá que ser executado, e vocês matarão também o animal.  Se uma mulher se aproximar de algum animal para ajuntar-se com ele, vocês matarão a mulher e o animal.  Ambos terão que ser executados, pois merecem a morte.’” Levíticos 20.15-16 · Indulgência quanto à fantasias sexuais com alguém que não o cônjuge – cobiça!
“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’. Mas eu lhes digo: Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração”.
Mateus 5.27-28 Deus diz SIM a…
· Procriação Deus os abençoou, e lhe disse: ‘Sejam férteis e multipliquem-se!…’ Gênesis 1.28 · Prazer – recreação …  Alegre-se com a esposa da sua juventude.  …que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela.” Provérbios 5.18-19 · Prazer – alegria “Entrei em meu jardim, minha irmã, minha noiva; ajuntei a minha mirra com as minhas especiarias.  Comi o meu favo e o meu mel; bebi o meu vinho e o meu leite.” Cântico dos Cânticos 5.1 · Suprir as carências e necessidades do cônjuge “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher e, da mesma forma a mulher para com o seu marido.  A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido.  Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.” 1 Coríntios 7.3-4 Casamento como instituição de Deus “O casamento deve ser honrado…” Hebreus 13.4 · Relacionamento sexual sem mácula
“O casamento deve ser honrado; o leito conjugal, conservado puro…” Hebreus 13.4 Tudo que é bom é pecado?
Jaime Kemp O relacionamento físico também requer cuidados.  Criar oportunidades, planejar e fazer acontecer faz parte de uma vida sexual saudável O sexo – mais do que nunca – tem sido objeto de uma incrível polarização.  De um lado tornou-se escancaradamente evidente, através da mídia lida, ouvida, vista, e exorbitada pela pornografia, hoje quase palpável pela Internet.  Porém, o medo desse extremo levou ao outro, onde pais nem conversam com os filhos sobre sexo e, quando o fazem é só para abrir-lhes os olhos, para que os fechem para toda e qualquer aparição deste, em suas diversas formas.  E aqui, também têm se encaixado as igrejas que o encaram unicamente com o propósito de procriação. 



 






Há muita confusão, mesmo entre casais casados, sobre sexo.  Mais de quarenta por cento dos meus aconselhamentos relacionam-se a problemas sexuais.  As Escrituras, no entanto, reconhecem a intimidade sexual conjugal como uma experiência normal na vida e possui, no mínimo, três propósitos:
- Procriar – Gênesis 1.28,29
- Evitar imoralidade – 1 Coríntios 7.1-5
- Dar prazer – Provérbios 5.15-19 O livro Cânticos dos Cânticos é dedicado à paixão entre os cônjuges.  Alguns intérpretes sentindo-se desconfortáveis com sua declarada sexualidade, tentaram defini-lo como uma alegoria espiritual.  No entanto, o livro é realmente uma terna descrição do romance entre o rei Salomão e sua esposa, Sulamita.  Neste pequeno livro de oito capítulos encontramos algumas jóias preciosas que mostram a exuberância de um relacionamento íntimo com o cônjuge: 



 






1. A primeira descrição feita por Salomão de sua amada está em Cânticos dos Cânticos 1.10,15.  É um breve e simples retrato de seus olhos, rosto e pescoço.  Na cultura da época o corpo inteiro das mulheres era coberto, com exceção do rosto.  Então, Salomão começa a descrever o que era possível enxergar em Sulamita.
2. A segunda descrição partiu da noite de núpcias (Cântico dos Cânticos 4.1-7), onde ele descreve o corpo de sua esposa, começando por seus olhos, lábios, pescoço e seios.
3. A terceira descrição (7.1-9) vem após o casal já estar casado há algum tempo e o quadro expõe algum tipo de conflito.  Esta narração é, sem sombra de dúvida, a que revela maior intimidade.  Salomão descreve sua esposa da cabeça aos pés.  A intimidade sexual do casal cresceu na proporção do tempo em que estiveram juntos Tempo A relação íntima de um casal desenvolve-se através do tempo e cresce com o conhecimento mútuo.  A experiência é gradativa e varia de casal para casal.  Não é possível estabelecer regras, embora ocorram semelhanças.  Há pessoas que querem criar uma intimidade artificial, porém, há coisas que não dá para forçar.  Deixe-me tentar ilustrar: se você já tirou sua carteira de motorista, com certeza se lembra das horas que passou treinando para o exame prático.  Creio que a maior dificuldade era coordenar a embreagem com o acelerador.  Você se lembra de quando retirou o pé da embreagem e o carro começou a dar trancos?  Depois de anos de prática, tudo ficou mais fácil, não é?  Você aprendeu, mas foi necessário investir tempo.  O mesmo ocorre no que diz respeito à intimidade que conduz a um relacionamento sexual realizador. 



 






Muitos dos casais que tenho aconselhado confessaram que suas expectativas sexuais eram altas demais.  A idéia passada por Hollywood é que quaisquer duas pessoas podem passar a noite juntas e experimentar um barulhento orgasmo.  Porém, não é bem assim que as coisas funcionam…  O cronômetro varia de casal para casal, é único e não há como padronizar ou generalizar.  Só dá para dizer que, quanto mais tempo com qualidade for investido pelo casal, maior será a possibilidade de desenvolver um bom relacionamento. 



 






Planejamento Já era madrugada quando Salomão bateu à porta de sua casa.  Ele havia ficado trabalhando até mais tarde e além disso tinha esquecido as chaves de casa, no palácio.  Sulamita já havia se deitado e aborrecida pela demora do marido e pela desconsideração que ele tivera, não avisando-a de seu atraso, trancou a porta do quarto (Cântico dos Cânticos 5.2-3). 



 






Por sua vez, ele também ficara aflito pois não tivera como escapar da reunião que se estendeu além do esperado.  Salomão desejava ter relações com sua esposa mas ela, cansada, desapontada e magoada, não o recebeu (Cântico dos Cânticos 5.3). 



 






Esse problema não é prerrogativa dos casais dos tempos bíblicos.  Hoje, nas grandes metrópoles muitos passam por situações semelhantes.  Alguns maridos chegam a ligar para suas esposas avisando, com carinho, que já estão encerrando o expediente.  Deixam seus escritórios ansiosos por chegar em casa.  Porém, nesse meio tempo começa a chover forte, o trânsito simplesmente pára e ocorre uma inundação.  O pior de tudo é que o celular se recusa a funcionar!  Bom, não é preciso dizer que os planos vão – literalmente – “por água abaixo”! 



 






Ao chegar em casa, um desses maridos encontra o jantar frio e a esposa “congelada”, aborrecida e desanimada pela espera. 



 






Voltemos para Salomão.  Ele agiu tipicamente como um homem!  Foi insensível e não entendeu o mau humor da esposa.  Seu orgulho ferido o levou à uma noite solitária no sofá!  Sulamita, em seu quarto, também não conseguiu dormir, arrependida por ter sido tão radical.  Salomão não consultou o relógio do sol para saber as horas e Sulamita esqueceu o porquê de ter se produzido tão esmeradamente! 



 






Os conflitos fazem parte de qualquer casamento.  Os casais mais sábios, porém, aprendem a lidar com eles e a utilizá-los como aprendizado.  Tendo em vista aprimorar nossa vida sexual, devemos enfocar alguns pontos: 



 






Boa comunicação No capítulo 4.12-15 Salomão diz a sua esposa o que o atrai nela:
1.  sua fidelidade – ele se sente seguro com sua exclusividade sexual
2.  seu perfume – ele se delicia com as fragrâncias que ela exala
3.  seus frutos – ele desfruta de suas carícias
4.  sua fonte – ele mata ali sua sede sexual Salomão envolve sua esposa com elogios, palavras doces e suaves.  Qual o resultado?  Uma entrega total da parte dela.  O versículo 16 é um lindo convite para um “passeio” pelo jardim, que na verdade é a sua sexualidade.  Nada impedia a liberdade que desfrutavam.  Estavam livres de culpa e repressões. 



 






E é nesse clima que cada casal deveria desenvolver sua intimidade.  Muitas vezes isso não acontece por conflitos e mal-entendidos não resolvidos, quebrando toda atmosfera propícia.  Os momentos de profunda intimidade entre o casal proporcionam não somente maior envolvimento entre eles, mas também um relaxamento físico, mental e emocional, tão necessário nos dias de hoje.  Inclusive, creio ser este um dos objetivos de Deus ao criar o sexo. 



 






No entanto, nada disso acontece por toque de mágica.  Comunicação é vital nesse processo e a transparência entre o casal é um dos pontos principais.  Precisamos trabalhar nossos relacionamentos.  Muitas vezes o casal já tem uma abertura que leva naturalmente a esse ponto.  Porém, nem sempre isso ocorre e nesses casos, é importante dirigir a conversa.  Gostaria, então, de sugerir quatro perguntas, que podem ser feitas periodicamente pelos cônjuges: 



 






1.  Existe algo que eu esteja fazendo em nossa relação que demonstre egoísmo? 



 






2.  Existe algo que eu possa fazer para tornar você mais feliz e realizado (a) na área física? 



 






3.  Estou, de alguma forma, ofendendo você? 



 






4.  Você está satisfeito (a) com nossa comunicação no que diz respeito a nossa intimidade? 



 






Você tem coragem de fazer estas perguntas a seu cônjuge?  Se as respostas não forem as que você espera mudanças serão necessárias.  Coragem!  Quem sabe não partirá daí um relacionamento mais profundo, transparente e duradouro? 



 






Tempo de lazer Nossa sociedade tecnológica criou uma diversidade de aparelhos visando poupar o tempo do usuário.  Porém, muitas vezes em que começamos a utilizá-los acabamos nos deixando dominar por eles.  Conheço casais que além da televisão, colocaram também o computador no quarto.  E a Internet acaba se tornando uma grande rival do casal! 



 






Se quisermos desenvolver uma vida sexual recompensadora devemos aprender a diminuir o ritmo, fazer intervalos e criar oportunidades. 



 






Em Cânticos 7.10-12, a Sulamita verbaliza seu amor por Salomão e em seguida sugere que tirem umas férias no campo.  Ela sabia a importância do tempo a sós com o marido, longe de casa, das responsabilidades, para que ambos pudessem relaxar e um ser o centro da atenção do outro. 



 






Esse tempo de férias a dois precisa ser planejado, e colocado na agenda familiar.  Ele pode até parecer algo impraticável, egoísta e não espiritual.  Porém, com toda a pressão que sofremos em nossa sociedade, é absolutamente necessário.  Os casais precisam dedicar algum tempo exclusivo para sua intimidade e desfrute sexual.  O mesmo Deus que oferece as boas novas de salvação ao mundo também criou o sexo.  E o colocou no contexto do casamento para que o casal possa celebrar seu relacionamento, com total liberdade e satisfação.  Deus deseja que cada casal casado aprofunde sua intimidade em todos os níveis e desenvolva entre si uma intimidade sexual que glorifique aquele que a idealizou. 



 






Conclusão: A fonte do verdadeiro prazer é Deus e quanto mais buscarmos Dele para o nosso casamento, mais receberemos 



 






Fonte: Lar Cristão 



 






 Os Benefícios do sexo 



 






01 – ALIVIAR A DOR: O prazer sexual tem efeito anestésico.  O limiar de tolerância à dor pode aumentar até 70% no momento do orgasmo – o que explica, entre outras coisas, a superação da dor nas práticas sadomasoquistas.  (E reacende a discussão do milênio: “Afinal, um tapinha não dói?”). 



 






02- ATIVA A DIGESTÃO: Segundo pesquisadores americanos, a saliva que se troca em um beijo “profundo” facilita a digestão e tem efeitos benéficos sobre as defesas do organismo.  Um boca-a-boca fogoso faz circular 9 gramas de água; 0,7 miligramas de gorduras, 0,45 gramas de sal e 250 bactérias.  (Alguém prefere chá de boldo?). 



 






03- MELHORAR O HUMOR: O prazer influencia a produção de serotonina e dopamina, substâncias que “dopam” o cérebro e espalham sensação de bem-estar pelo corpo todo.  (Quando aquela sua colega de trabalho chega toda sorridente em plena segunda-feira, já sabe o motivo, não é?) 



 






04- DESCONTRAIR OS MÚSCULOS: Carinhos sobre a pele produzem um estímulo que chega até o centro motor nervoso.  Quando esse estímulo volta aos músculos, tem efeito relaxante.  (Adeus Lexotan!). 



 






05- DIMINUIR A ANSIEDADE: Carícias têm um verdadeiro poder calmante – graças à liberação das endorfinas.  E como toda atividade física, fazer amor permite botar para fora as tensões musculares, nervosas e psicológicas.  (Vai ter psicólogos e psiquiatras perdendo o emprego…). 



 






06- FACILITAR A FECUNDAÇÃO: O prazer pode favorecer a fecundação, mas isso não é sistemático.  Descobriu-se que, a partir de um orgasmo muito forte, a mulher pode ter uma segunda ovulação em um mesmo ciclo.  (Isso já é preocupante…  ai, ai, ai…) 



 






07- ESTIMULAR A CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA: Durante a excitação sexual, a demanda por sangue aumenta nas zonas erógenas e no resto do corpo também.  No momento do prazer, as artérias se dilatam, provocando uma sensação de bem-estar generalizada.  (E tem gente que ainda usa meias Kendall…). 



 






08- EQUILIBRAR A TIREÓIDE: O prazer sexual favorece o bom funcionamento da tireóide.  Quando a glândula funciona demais, a pessoa sente-se febril, sem energia.  Quando ela não trabalha o bastante, não é melhor: a pessoa sente frio, engorda e sua libido diminui.  (Vamos equilibrar a tireóide!). 



 






09- REGULAR A MENSTRUAÇÃO: Sexualidade mal vivida se traduz freqüentemente por ciclo menstrual irregular.  O prazer sexual favorece o equilíbrio hormonal – e a menstruação na data certa.  Além disso, estudos provam que mulheres que têm bons orgasmos sofrem menos com a tensão pré-menstrual.  (Vamos lá, mulherada!  Vamos diminuir este fardo!!). 



 






10- MELHORAR O SONO: Quando a pessoa se sente bem, o corpo produz endorfinas, que têm poderes calmantes e tranqüilizantes.  (Tá explicado cientificamente porque os homens viram pro lado e dormem em seguida…). 



 






11- MANTER O PESO: Cada relação sexual de 20 minutos faz perder em média 200 calorias – o equivalente a meia hora de tênis ou uma corrida de 1,5 Km.  Se o prazer emagrece pouco, por outro lado produz endorfinas, que acalmam os ataques à geladeira.  (Geladeira?  O que é isso????). 



 






12- DESENVOLVE O ESTRESSE POSITIVO: Boa parte das substâncias necessárias à uma relação sexual de qualidade é produzida pelas supra-renais, pequenas glândulas localizadas acima dos rins que funcionam melhor sob a influência do prazer.  A adrenalina agita os sentimentos em caso de amor à primeira vista; a cortisona age contra a depressão e os hormônios andrógenos estimulam o desejo.  (Já repararam que tudo na vida é uma questão de hormônios?  Até amor à primeira vista!). 



 






13- HIDRATAR A PELE: O prazer aumenta a produção de estrógeno (hormônio sexual feminino), o que faz a pele ficar mais bem irrigada, mais brilhante, mais lisa e mais macia.  (Mulheres : lembrem-se disso antes de gastar todo seu salário no novo lançamento da Lancôme!). 



 






14- MASSAGEAR O INTESTINO: A contração dos músculos abdominais durante o sexo funciona como uma massagem no intestino, o que favorece seu funcionamento.  (Adeus laxantes!). 



 






15- EXERCITAR O CORAÇÃO: O ritmo cardíaco sobe de 70/80 pulsações por minuto no estado de repouso para 100/160 pulsações por minuto.  (Oxigenação fantástica para todas as células!). 



 






16- DESINTOXICAR O SANGUE: Em estado de repouso, cada pessoa respira, em média, 15 vezes por minuto.  Em estado de excitação, a média sobe para 40 vezes.  Conseqüência: o corpo fica mais oxigenado, os resíduos de gás carbônico são eliminados e o sangue se regenera.  É como fazer cooper.  (E tem gente que fica correndo na esteira!) 



 






17- AUMENTAR OS SEIOS: Sob o efeito da excitação, o volume dos seios pode aumentar até 25% – e a sensibilidade se multiplica.  (Isso significa que se ele caprichar nas preliminares, você nem vai precisar colocar silicone!) 



 






18- TONIFICAR O ABDÔMEN: Quando se faz amor com freqüência ou por muito tempo, trabalha-se a região abdominal.  O responsável é o diafragma: acomodado entre a barriga e os pulmões, este músculo se contrai sob efeito da aceleração da respiração e cutuca os músculos abdominais.  (Muito melhor que fazer 200 abdominais por dia!). 



 






19- MELHORAR A MEMÓRIA: O hipotálamo, parte do cérebro onde ficam os centros de memória e de aprendizado, também é estimulado pelo prazer.  Uma pesquisa americana feita com estudantes mostrou que a masturbação durante períodos de prova favorecem a concentração – a liberação de energia durante o orgasmo estimula o desejo de alcançar objetivos.  (Para quem está perdido na vida, sexo é a melhor solução para alcançar objetivos!) 



 






20- ALEGRAR A GRAVIDEZ: Inundado de hormônios, o corpo de uma mulher grávida induz a um aumento da circulação sangüínea, em particular no baixo ventre, o que facilita a relação sexual.  O prazer é ampliado por espasmos agradáveis do útero, que reage mais a estímulos por causa da presença do bebê. 



 






//  



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










Ministério de Casais: 99 maneiras de amar a sua mulher !






8 08UTC Fevereiro 08UTC 2010 · Deixe um Comentário














  



 






1.  Comunique-se com ela; jamais a deixe de fora.
2.  Considere-a importante.
3.  Faça tudo o que puder para compreender os sentimentos dela.
4.  Interesse-se pelos amigos dela.
5.  Peça sempre a opinião dela..
6.  Dê valor ao que ela diz.
7.  Não deixe de demonstrar sua aprovação e afeto por ela.
8.  Seja amável e terno com ela.
9.  Aprenda a responder aberta e verbalmente quando ela quer comunicar-se.
10.  Conforte-a quando estiver deprimida.  Por exemplo, coloque os braços em volta dela e segure-a por alguns momentos, sem advertências ou censuras. 



 






11.  Interesse-se pelo que ela acha importante na vida.
12.  Corrija-a com amabilidade e ternura.
13.  Permita que ela o ensine sem levantar suas defesas.
14.  Separe tempo especial para passar com ela e seus filhos.
15.  Seja digno de confiança.
16.  Elogie sua mulher com freqüência.
17.  Seja criativo ao expressar seu amor, quer em palavras ou atos.
18.  Aceite-a como é; descubra que ela é única e especial.
19.  Admita seus erros: não tema ser humilde.
20.  Lidere sua família em relação espiritual com Deus.
21.  Permita que sua esposa falhe; discuta o que houve de errado depois de tê-la consolado.
22.  Tomem tempo para sentarem-se e conversar calmamente.
23.  Faça passeios românticos.
24.  Escreva-lhe ocasionalmente uma carta, dizendo-lhe o quanto a ama.
25.  Surpreenda-a com um cartão ou flores.
26.  Expresse quanto a aprecia.
27.  Diga-lhe como se orgulha dela.
28.  Dê-lhe conselhos de maneira amorosa quando vier pedi-los a você.
29.  Defenda-a perante outros.
30.  Prefira-a a outros.
31.  Não permita que exerça atividades que superem sua capacidade emocional ou física.
32.  Tome tempo para notar o que ela fez por você e para a família.
33.  Compartilhe com ela seus pensamentos e sentimentos.
34.  Converse com ela sobre seu trabalho se estiver interessada.
35.  Tome tempo para ver como ela passa o dia, no trabalho ou em casa.
36.  Aprenda a gostar do que ela gosta.
37..  Cuide dos filhos antes do jantar sempre que necessário.
38.  Ajude-a nos serviços domésticos.
39.  Compreenda as limitações físicas dela se tiverem vários filhos.
40.  Discipline seus filho com amor e não com ira.
41.  Ajude-a a alcançar seus objetivos – nos passatempos ou educação formal.
42.  Trate-a como se Deus tivesse gravado em sua testa: “Manuseie com cuidado”.
43.  Livre-se dos hábitos que a aborrecem.
44.  Seja amável e solícito com os parentes dela.
45.  Não compare os parentes dela com os seus de maneira negativa.
46.  Agradeça-lhe as coisas que tiver feito sem esperar nada em troca.
47.  Não espere que uma banda toque quando você ajudar na limpeza da casa.
48.  Veja se ela compreendeu tudo que você está planejando fazer.
49.  Faça pequenas coisas para ela – um beijo inesperado, café na cama.
50.  Trate-a como alguém de seu mesmo nível intelectual.
51.  Descubra se quer ser tratada como fisicamente mais frágil.
52.  Descubra do que tem medo na vida.
53.  Veja o que pode fazer para eliminar seus temores.
54.  Descubra o que a torna insegura.
55.  Planeje o seu futuro juntos.
56.  Não brigue por causa de palavras, mas tente descobrir os sentimentos ocultos.
57.  Pratique cortesias comuns como segurar a porta para ela, despejar o café.
58.  Verifique se ela não se sente confortável quanto à maneira como o dinheiro é gasto.
59.  Convide-a para sair de vez em quando.
60.  Segure sua mão em público.
61.  Coloque o braço ao redor dela na frente de amigos.
62.  Diga-lhe que a ama – com freqüência
63..  Lembre-se das datas de aniversários de casamento, nascimento e outras ocasiões especiais.
64.  Aprenda a gostar de fazer compras..
65.  Ensine-a a caçar e pescar ou o que quer que você goste de fazer.
66.  Dê-lhe um presente especial de tempos a tempos.
67.  Não deprecie as características femininas dela.
68.  Permita que ela se expresse livremente, sem medo de ser chamada de estúpida ou ilógica.
69.  Escolha cuidadosamente as suas palavras, especialmente quando estiver zangado.
70.  Não a critique em frente de terceiros.
71.  Não deixe que ela o veja ficar entusiasmado com a aparência física de outra mulher se isso a aborrece.
72.  Tenha sensibilidade com relação a outras pessoas.
73.  Faça com que sua família saiba que você quer passar um tempo especial com ela.
74.  Prepare o jantar para ela de vez em quando.
75.  Mostre simpatia quando ela fica doente.
76.  Avise quando for chegar tarde.
77.  Não discorde dela na frente dos filhos.
78.  Leve-a para jantar e para passar o fim-de-semana fora.
79.  Permita que ela tome tempo para conversar sozinha com as amigas.
80.  Compre para ela o que possa considerar um presente íntimo.
81.  Leia um livro recomendado por ela.
82.  Faça-lhe perguntas específicas sobre o dia dela que indiquem que você sabe o que ela estava planejando fazer ( ex.: “Como foi sua consulta com o médico?” ).
83.  Tente ouvir e fazer perguntas.
84.  Planeje um programa com vários dias de antecedência, é preferível do que esperar até sexta à noite e perguntar o que ela quer fazer.
85.  Faça elogios à aparência dela.
86.  Demonstre empatia pelos sentimentos dela quando ela estiver aborrecida.
87.  Ofereça-se para ajudá-la quando estiver cansada.
88.  Quando ela falar com você, abaixe a revista ou desligue a televisão e dê-lhe sua atenção.
89.  Observe quando ela está aborrecida ou cansada e pergunte o que ela tem para fazer.  Então se ofereça para ajudar fazendo algumas das suas tarefas.
90.  Diga-lhe quando você estiver planejando tirar uma soneca ou sair.
91.  Quando você estiver fora da cidade, ligue para deixar um número de telefone onde poderá ser encontrado e para que ela saiba que você chegou bem.
92.  Lave seu carro e limpe o interior antes de um programa com ela.
93.  Ofereça-se para dar-lhe uma massagem nas costas, no pescoço ou nos pés (ou todas as três).
94.  Não aperte o controle remoto para canais diferentes quando ela estiver assistindo televisão com você.
95.  Quando estiverem de mãos dadas, não deixe que sua mão fique frouxa.
96.  Sugira restaurantes diferentes ao saírem; não empurre para ela o peso de decidir aonde ir.
97.  Crie ocasiões em que ambos possam se vestir a rigor.
98.  Seja compreensivo quando ela se atrasar ou decidir.
99.  Preste mais atenção nela do que nos outros em público. 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










Ministério de Casais: O exercício do Perdão






8 08UTC Fevereiro 08UTC 2010 · Deixe um Comentário














 



 






Estudo : O exercício do Perdão
Vivendo a Graça 



 






 Princípio Chave da Lição: Errar é um ato, uma iniciativa humana.  Porem perdão é um ato, uma iniciativa divina. 



 






Introdução:  O perdão é uma manifestação da graça de Deus, e deve ser praticado como um exercício diário .  Devemos aprender a conviver com as limitações do outro, evidentemente nos recusando a aceitar o erro como coisa natural na vida das pessoas.  Aprender a conviver com as atitudes erradas, sem concordar com elas e ao mesmo tempo amenizar as amarguras, impedindo que feridas surjam na alma, observando o mandamento de perdoar sempre, independente do que sentimos.A amargura nos priva da graça de Deus.  Não deixe o “mofo”do ressentimentos contaminar tua alma, existe uma esperança.  Jesus é Balsamo de Gileade, a cura para aqueles que se encontram com o coração ferido pelos sofrimentos da vida.  Ele está de braços abertos te esperando.  (Jô 15: 12) 



 






I – Jesus Cristo nos deu exemplos
1.  Um modelo Jesus nos deu o exemplo de perdão como algo fundamental na vida cristã.  Este exemplo ocorreu no pior momento de Sua vida, quando desarticulou e desestruturou o império das trevas. 



 






2.  Uma necessidade O perdão na vida cristã é a base do relacionamento entre o homem e o seu Criador.  É uma doutrina básica da fé, onde se torna urgente sua prática diária, para que ninguém se prive da graça de Deus. 



 






3.  O mesmo Espírito em João 13:35, Jesus disse: “…  Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”.  A vida cristã tem uma identificação, o amor.  O mesmo Espírito que levou o corpo inerte de Jesus da sepultura, está em nossos corações.  Somos o templo do Espírito Santo. 



 






II – Três Características Do Perdão De Cristo
1.Perdão Unilateral Você toma a iniciativa, oferece o perdão, busca a restauração, compreende que o perdão é uma decisão da vontade e não um mero sentimento.  Somente você pode impedir de perdoar alguém.  É você quem decide.  Isso independente dos sentimentos.  Quando você exercita a prática do perdão, Deus cura os ressentimentos e as feridas da alma. 



 






2.Perdão Incondicional “Perdôo se”…  “Se não”…  “Isto nunca”!  As pessoas que não tomam essa decisão de perdoar de forma incondicional demonstram que estão contaminadas pelo veneno da alma: a amargura.  O inimigo tem procurado de muitas maneiras criar situações que gerem raiz de amargura, mas se exercermos o mandamento do perdão, suas intenções cairão por terra. 



 






3.Perdão: o antídoto contra a amargura A amargura é um sentimento perverso, porque produz uma reação em cadeia:
A amargura foi gerada no coração devido a falta de perdão.
As mágoas ou recordações dolorosas fazem parte dos pensamentos, e freqüentemente s”~ao verbais no dia a dia ou ficam escondidas no interior do coração.
A pessoa começa a se isolar, criando muros, tornando-se rude e insensível com Deus e com os homens , gerando outras raízes de amargura.
Surgem mais culpa, baixo auto estima, doenças psicossomáticas, depressão e até o câncer.  Jesus com seu exemplo de amor e perdão, reverte toda raiz de amargura em vida abundante.  Libere o perdão quem lhe ofendeu e deixe o Espírito Santo sarar suas feridas. 



 






III- Exercendo o Perdão Total e Definitivo Por ser um ato de nossa vontade, o perdão deve ser exercido diariamente, toda vez que fizer necessário.  Parece ser algo fácil perdoar, mas como todo exercício, requer na realidade determinação, disciplina, perseverança e uma boa dose de humildade, para que o perdão faça parte de seu estilo de vida. 



 






Conclusão A partir do momento que você decide perdoar , colocará em pratica a vida cristão e todas as suas implicações.  Sairá da teoria, porque com Deus, tudo é pratica. 



 






Terapia Conjugal
1.  Faça uma lista numa folha de papel com o nome de todas as pessoas que você precisam liberar o perdão, e orem juntos para o Senhor Jesus confirmar isso em suas vidas. 



 






//  



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










Ministério de Casais: Verdade ou Mentira ?






8 08UTC Fevereiro 08UTC 2010 · Deixe um Comentário














 



 






Verdade ou Mentira 



 






01 Mentira: Casamento é um contrato.
Verdade: Casamento é uma aliança criada por Deus. 



 






02 Mentira: Eu amo você, não sua família!
Verdade: Você não casou somente com seu cônjuge; ganhou o pacote completo. 



 






03 Mentira: Nós somos diferentes demais.
Verdade: Incompatibilidade ou diferenças não matam um relacionamento.  Como você lida com as diferenças do outro é o que conta. 



 






04 Mentira: Eu perdi o amor que eu sentia por você…
Verdade: O amor pode ser restaurado por Deus. 



 






05 Mentira: Um casamento mais tradicional poderá salvar-nos.
Verdade: A intenção de Deus é gerar a unidade de uma só carne. 



 






06 Mentira: Não posso mudar – sou assim mesmo; é pegar ou largar.
Verdade: Eu posso mudar, mas isso requer desejo, obediência e força. 



 






07 Mentira: Está tudo acabado.  Nada pode mudar esse relacionamento.
Verdade: Nunca é tarde demais, porque para Deus tudo é possível. 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










ADBR






3 03UTC Fevereiro 03UTC 2010 · Deixe um Comentário














 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










ORAÇÃO






1 01UTC Fevereiro 01UTC 2010 · Deixe um Comentário















ministeriodecasaisfortalecendo@hotmail.com 



 






aceite Jesus clicando aqui
















→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










MOMENTO REFLEXÃO






28 28UTC Janeiro 28UTC 2010 · Deixe um Comentário














A Cega
 



 










blog17012010 



 






Havia uma garota cega que se odiava pelo fato de ter nascida cega. Também odiava a todos, exceto seu namorado. 



 






Um dia, ela disse que se pudesse ver o mundo se casaria com ele. Em um dia de sorte, alguém doou um par de olhos para ela, então, seu namorado lhe perguntou: “Agora que você pode ver, você se casa comigo?” 



 






A garota estava chocada quando ela viu que seu namorado era cego. Ela disse: “ Eu sinto muito, mas não posso me casar com você porque você é …. cego.” 



 






O namorado, afastando-se dela, em lágrimas, disse: “Por favor, apenas cuide bem dos meus olhos. Eles eram o melhor que eu tinha.“ 



 






Nunca despreze quem lhe ama. Às vezes, as pessoas fazem certos sacrifícios e nem consideramos. Não obstante Jesus ter doado Sua vida inteira, mesmo assim, a maioria O despreza. 



 






Publicado por Bispo Edir Macedo 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










Milagre no Casamento






26 26UTC Janeiro 26UTC 2010 · Deixe um Comentário














A Bíblia narra um milagre extraordinário, operado por Jesus Cristo, nosso Senhor. 



 






É o relato de como um casamento foi tocado pelo poder de Deus, e de como o seu casamento poderá ser tocado também! Observemos o relato bíblico: “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus; e foi também convidado Jesus com seus discípulos para o casamento. E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Disse então sua mãe aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. Ora, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. Ordenou-lhe Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. 



 






Então lhes disse: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E eles o fizeram. Quando o mestre-sala provou a água tornada em vinho, não sabendo donde era, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o mestre-sala ao noivo e lhe disse: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. Assim deu Jesus início aos seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.” João 2.1-11 Este foi o primeiro milagre que Jesus realizou, e não é em vão que tenha acontecido justamente num casamento! 



 






As Escrituras dão testemunho através disto, mostrando-nos que antes de Jesus realizar qualquer outro milagre de cura, libertação, etc. está interessado em agir nos casamentos. A família tem prioridade no plano de Deus, pois Ele não a criou para o fracasso, e sim para ser bem sucedida. Percebemos também que o milagre ocorrido deu-se em torno de haver ou não VINHO, que na Bíblia é uma figura de alegria (Salmo 104.15). Nos casamentos, o que vemos e ouvimos é que o vinho sempre acaba. Pessoas que viviam embriagadas de amor pelo cônjuge, assistem perplexas seus sentimentos desaparecerem. O matrimônio, de maneira geral está falido, pois o vinho sempre acaba. 



 






Mas quando Jesus está presente aí é que se estabelece a diferença! Milagres acontecem e ele traz vinho novo aonde já não mais existia. Mas perceba que o milagre aconteceu porque Jesus estava lá. Ele e seus discípulos foram convidados para simplesmente estarem nas bodas; não receberam um chamado de última hora só porque os noivos precisavam de um milagre. Ele havia sido chamado para estar junto… E porque estava presente, operou o milagre! 



 






De maneira semelhante, se você quer um casamento que dure, que sobreviva à falta do vinho (alegria), convide o Senhor Jesus para estar presente. Não espere a crise chegar, cultive sempre a presença dele por meio de oração e leitura da Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. E não apenas leia, mas pratique a Palavra, pois o milagre acontece aonde há obediência; foi dito aos serventes que fizessem tudo o que Jesus mandasse, e porque fizeram sem questionar se era racional ou não, receberam o milagre. Podemos observar ainda algumas figuras neste texto: 



 






O número 6 – Havia seis talhas. Na Bíblia, este número sempre fala de algo que é humano. O homem foi criado no sexto dia (Gn 1.27,31). E o seis é chamado número de homem (Ap.13:18). Portanto, percebemos que o milagre não depende só de Deus, mas há uma participação e um fator humano ligado a este milagre no casamento. 



 






 As talhas – o significado espiritual destas talhas estão apontando para a parte que nos toca no que tange a receber o milagre de Deus. O seis fala do homem, e aqui entendemos nossa participação no milagre. As talhas eram o recipiente para o vinho que o Senhor Jesus transformaria. Normalmente eram pedras talhadas, cavadas. Isto sugere o quão duro somos no que tange aos relacionamentos e o quanto precisamos ser trabalhados por Deus em nossa forma de ser e agir no matrimônio. Quanto mais cavados nos deixamos ser pelo agir de Deus, maior será nosso potencial para receber o vinho. Uma pedra pouco cavada, comporta pouco vinho, mas uma pedra bem trabalhada comporta mais vinho! 



 






A água – Era a matéria prima necessária para que o milagre pudesse acontecer. Não havia água nas talhas, Jesus foi quem mandou enchê-las. A água simboliza a Palavra e também o Espírito Santo. Nos lares onde o vinho chega a acabar, e todo o prazer do relacionamento desaparece, temos percebido que além dos erros cometidos na esfera natural, havia também falta de água; não havia o cultivo diário da presença de Deus por sua Palavra (lida e praticada) e a presença viva de seu Espírito. Creio ser esta a chave do milagre. É importante se deixar ser trabalhado (o que é diferente de ser manipulado pelo cônjuge) na forma de se relacionar, mas se estas talhas não forem cheias da presença de Deus o vinho não aparecerá! Vale também ressaltar que quanto mais água aqueles servos colocassem nas talhas, mais vinho haveria; ou seja, o milagre de Deus em nosso casamento esta diretamente relacionado com o investimento que fazemos em cultivar Sua presença. Finalizando, quero chamar sua atenção para a qualidade do milagre. Jesus deu o que havia de melhor em matéria de vinho, a ponto de o mestre-sala se impressionar e comentar que normalmente se bebe o melhor vinho e, depois de o terem desfrutado, oferece-se o inferior. Assim é com a maioria dos relacionamentos conjugais; bebem o melhor vinho nos primeiros anos, depois a qualidade cai e assim é até que acabe. Mas quando Deus faz um milagre, o que se experimenta é algo inédito, muito superior a tudo o que já se experimentou até então. Deus nos dá o melhor, sempre! 



 






Tenho visto isto no dia-a-dia dos casamentos que tenho acompanhado como pastor, portanto sei do que estou falando. Deixe Deus ser não apenas o Criador do matrimônio, mas aquele que oferece toda manutenção necessária. Quando isto acontece, não somente somos beneficiados com um lar melhor, mas Deus recebe glória. O vinho dos lares cristãos deve ser o da mais alta qualidade… Se você reconhece que o vinho acabou (ou está quase acabando) em seu matrimônio, creia na vontade de Deus de agir nos casamentos. Renove o convite ao Senhor Jesus para estar em seu lar, pratique estes princípios espirituais e seja feliz como o Pai Celestial sempre quis que cada casal fosse! 



 






Fonte: http://blogdosubira.wordpress.com/ 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 










ADBR – ITAIM PAULISTA






22 22UTC Janeiro 22UTC 2010 · Deixe um Comentário




















































   A IGREJA QUE AMA VOCÊ! 
 


























Ouça Culto – Ao vivo 



 






http://www.adbritaim.com.br/ 



 






→ Leave a CommentCategorias: Sem categoria 



 


























  • Procure!











  • Entradas recentes










  • O Propósito de Deus para a Família.2.9





  • Ministério de Casais: O Prazer chamado Casamento2.9





  • Ministério de Casais: 99 maneiras de amar a sua mulher !2.8





  • Ministério de Casais: O exercício do Perdão2.8





  • Ministério de Casais: Verdade ou Mentira ?2.8





  • ADBR2.3





  • ORAÇÃO2.1





  • MOMENTO REFLEXÃO1.28





  • Milagre no Casamento1.26





  • ADBR – ITAIM PAULISTA1.22












    • Links










    • ADBR – ITAIM PAULISTA
















        • Ministério de Casais: O Prazer chamado Casamento



           






           



           















          O Prazer Chamado Casamento



           






           Introdução: Sexualidade do cristão: Creio ser este um dos temas mais difíceis de ser abordado.  Nem tanto Por sua complexidade, que não negamos, mas muito mais pelos tabus e preconceitos, que circundam este tema.  Neste estudo tentaremos laçar um pouco de luz, sobre este tema, a luz da palavra de Deus, a fonte do verdadeiro prazer.



           






          I. Uma triste estatística:
          A revista Newsweek no mês de junho trouxe, como matéria de capa, uma reportagem bastante interessante.  “Sexo.: Não!  Somos casados”, era a chamada para o artigo principal.  Pesquisas, segundo a Newsweek, apontam que 113 milhões de casais americanos estão tendo uma vida sexual medíocre.  De 15 a 20% dos casais têm, não mais, do que 10 relações sexuais por ano.



           






          No Brasil, os números não devem ser muito diferentes.  Muitos casais Tem vivo desta forma medíocre.  Por quê?



           






          II. O que a Bíblia fala sobre sexo:
          Deus diz NÃO a…
          · Relacionamento sexual fora do casamento Fujam da imoralidade sexual.  Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo”.
          1 Coríntios 6.18 · Relação sexual com um membro da família “’Ninguém poderá se aproximar de uma parenta próxima para se envolver sexualmente com ela.  Eu sou o Senhor.’” – Levíticos 18.6 · Relação sexual entre pessoas do mesmo sexo “Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus?  Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.” – 1 Coríntios 6.9-10 · Relação sexual com animais – bestialidade “’Se um homem tiver relações sexuais com um animal, terá que ser executado, e vocês matarão também o animal.  Se uma mulher se aproximar de algum animal para ajuntar-se com ele, vocês matarão a mulher e o animal.  Ambos terão que ser executados, pois merecem a morte.’” Levíticos 20.15-16 · Indulgência quanto à fantasias sexuais com alguém que não o cônjuge – cobiça!
          “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’. Mas eu lhes digo: Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração”.
          Mateus 5.27-28 Deus diz SIM a…
          · Procriação Deus os abençoou, e lhe disse: ‘Sejam férteis e multipliquem-se!…’ Gênesis 1.28 · Prazer – recreação …  Alegre-se com a esposa da sua juventude.  …que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela.” Provérbios 5.18-19 · Prazer – alegria “Entrei em meu jardim, minha irmã, minha noiva; ajuntei a minha mirra com as minhas especiarias.  Comi o meu favo e o meu mel; bebi o meu vinho e o meu leite.” Cântico dos Cânticos 5.1 · Suprir as carências e necessidades do cônjuge “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher e, da mesma forma a mulher para com o seu marido.  A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido.  Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.” 1 Coríntios 7.3-4 Casamento como instituição de Deus “O casamento deve ser honrado…” Hebreus 13.4 · Relacionamento sexual sem mácula
          “O casamento deve ser honrado; o leito conjugal, conservado puro…” Hebreus 13.4 Tudo que é bom é pecado?
          Jaime Kemp O relacionamento físico também requer cuidados.  Criar oportunidades, planejar e fazer acontecer faz parte de uma vida sexual saudável O sexo – mais do que nunca – tem sido objeto de uma incrível polarização.  De um lado tornou-se escancaradamente evidente, através da mídia lida, ouvida, vista, e exorbitada pela pornografia, hoje quase palpável pela Internet.  Porém, o medo desse extremo levou ao outro, onde pais nem conversam com os filhos sobre sexo e, quando o fazem é só para abrir-lhes os olhos, para que os fechem para toda e qualquer aparição deste, em suas diversas formas.  E aqui, também têm se encaixado as igrejas que o encaram unicamente com o propósito de procriação.



           






          Há muita confusão, mesmo entre casais casados, sobre sexo.  Mais de quarenta por cento dos meus aconselhamentos relacionam-se a problemas sexuais.  As Escrituras, no entanto, reconhecem a intimidade sexual conjugal como uma experiência normal na vida e possui, no mínimo, três propósitos:
          - Procriar – Gênesis 1.28,29
          - Evitar imoralidade – 1 Coríntios 7.1-5
          - Dar prazer – Provérbios 5.15-19 O livro Cânticos dos Cânticos é dedicado à paixão entre os cônjuges.  Alguns intérpretes sentindo-se desconfortáveis com sua declarada sexualidade, tentaram defini-lo como uma alegoria espiritual.  No entanto, o livro é realmente uma terna descrição do romance entre o rei Salomão e sua esposa, Sulamita.  Neste pequeno livro de oito capítulos encontramos algumas jóias preciosas que mostram a exuberância de um relacionamento íntimo com o cônjuge:



           






          1. A primeira descrição feita por Salomão de sua amada está em Cânticos dos Cânticos 1.10,15.  É um breve e simples retrato de seus olhos, rosto e pescoço.  Na cultura da época o corpo inteiro das mulheres era coberto, com exceção do rosto.  Então, Salomão começa a descrever o que era possível enxergar em Sulamita.
          2. A segunda descrição partiu da noite de núpcias (Cântico dos Cânticos 4.1-7), onde ele descreve o corpo de sua esposa, começando por seus olhos, lábios, pescoço e seios.
          3. A terceira descrição (7.1-9) vem após o casal já estar casado há algum tempo e o quadro expõe algum tipo de conflito.  Esta narração é, sem sombra de dúvida, a que revela maior intimidade.  Salomão descreve sua esposa da cabeça aos pés.  A intimidade sexual do casal cresceu na proporção do tempo em que estiveram juntos Tempo A relação íntima de um casal desenvolve-se através do tempo e cresce com o conhecimento mútuo.  A experiência é gradativa e varia de casal para casal.  Não é possível estabelecer regras, embora ocorram semelhanças.  Há pessoas que querem criar uma intimidade artificial, porém, há coisas que não dá para forçar.  Deixe-me tentar ilustrar: se você já tirou sua carteira de motorista, com certeza se lembra das horas que passou treinando para o exame prático.  Creio que a maior dificuldade era coordenar a embreagem com o acelerador.  Você se lembra de quando retirou o pé da embreagem e o carro começou a dar trancos?  Depois de anos de prática, tudo ficou mais fácil, não é?  Você aprendeu, mas foi necessário investir tempo.  O mesmo ocorre no que diz respeito à intimidade que conduz a um relacionamento sexual realizador.



           






          Muitos dos casais que tenho aconselhado confessaram que suas expectativas sexuais eram altas demais.  A idéia passada por Hollywood é que quaisquer duas pessoas podem passar a noite juntas e experimentar um barulhento orgasmo.  Porém, não é bem assim que as coisas funcionam…  O cronômetro varia de casal para casal, é único e não há como padronizar ou generalizar.  Só dá para dizer que, quanto mais tempo com qualidade for investido pelo casal, maior será a possibilidade de desenvolver um bom relacionamento.



           






          Planejamento Já era madrugada quando Salomão bateu à porta de sua casa.  Ele havia ficado trabalhando até mais tarde e além disso tinha esquecido as chaves de casa, no palácio.  Sulamita já havia se deitado e aborrecida pela demora do marido e pela desconsideração que ele tivera, não avisando-a de seu atraso, trancou a porta do quarto (Cântico dos Cânticos 5.2-3).



           






          Por sua vez, ele também ficara aflito pois não tivera como escapar da reunião que se estendeu além do esperado.  Salomão desejava ter relações com sua esposa mas ela, cansada, desapontada e magoada, não o recebeu (Cântico dos Cânticos 5.3).



           






          Esse problema não é prerrogativa dos casais dos tempos bíblicos.  Hoje, nas grandes metrópoles muitos passam por situações semelhantes.  Alguns maridos chegam a ligar para suas esposas avisando, com carinho, que já estão encerrando o expediente.  Deixam seus escritórios ansiosos por chegar em casa.  Porém, nesse meio tempo começa a chover forte, o trânsito simplesmente pára e ocorre uma inundação.  O pior de tudo é que o celular se recusa a funcionar!  Bom, não é preciso dizer que os planos vão – literalmente – “por água abaixo”!



           






          Ao chegar em casa, um desses maridos encontra o jantar frio e a esposa “congelada”, aborrecida e desanimada pela espera.



           






          Voltemos para Salomão.  Ele agiu tipicamente como um homem!  Foi insensível e não entendeu o mau humor da esposa.  Seu orgulho ferido o levou à uma noite solitária no sofá!  Sulamita, em seu quarto, também não conseguiu dormir, arrependida por ter sido tão radical.  Salomão não consultou o relógio do sol para saber as horas e Sulamita esqueceu o porquê de ter se produzido tão esmeradamente!



           






          Os conflitos fazem parte de qualquer casamento.  Os casais mais sábios, porém, aprendem a lidar com eles e a utilizá-los como aprendizado.  Tendo em vista aprimorar nossa vida sexual, devemos enfocar alguns pontos:



           






          Boa comunicação No capítulo 4.12-15 Salomão diz a sua esposa o que o atrai nela:
          1.  sua fidelidade – ele se sente seguro com sua exclusividade sexual
          2.  seu perfume – ele se delicia com as fragrâncias que ela exala
          3.  seus frutos – ele desfruta de suas carícias
          4.  sua fonte – ele mata ali sua sede sexual Salomão envolve sua esposa com elogios, palavras doces e suaves.  Qual o resultado?  Uma entrega total da parte dela.  O versículo 16 é um lindo convite para um “passeio” pelo jardim, que na verdade é a sua sexualidade.  Nada impedia a liberdade que desfrutavam.  Estavam livres de culpa e repressões.



           






          E é nesse clima que cada casal deveria desenvolver sua intimidade.  Muitas vezes isso não acontece por conflitos e mal-entendidos não resolvidos, quebrando toda atmosfera propícia.  Os momentos de profunda intimidade entre o casal proporcionam não somente maior envolvimento entre eles, mas também um relaxamento físico, mental e emocional, tão necessário nos dias de hoje.  Inclusive, creio ser este um dos objetivos de Deus ao criar o sexo.



           






          No entanto, nada disso acontece por toque de mágica.  Comunicação é vital nesse processo e a transparência entre o casal é um dos pontos principais.  Precisamos trabalhar nossos relacionamentos.  Muitas vezes o casal já tem uma abertura que leva naturalmente a esse ponto.  Porém, nem sempre isso ocorre e nesses casos, é importante dirigir a conversa.  Gostaria, então, de sugerir quatro perguntas, que podem ser feitas periodicamente pelos cônjuges:



           






          1.  Existe algo que eu esteja fazendo em nossa relação que demonstre egoísmo?



           






          2.  Existe algo que eu possa fazer para tornar você mais feliz e realizado (a) na área física?



           






          3.  Estou, de alguma forma, ofendendo você?



           






          4.  Você está satisfeito (a) com nossa comunicação no que diz respeito a nossa intimidade?



           






          Você tem coragem de fazer estas perguntas a seu cônjuge?  Se as respostas não forem as que você espera mudanças serão necessárias.  Coragem!  Quem sabe não partirá daí um relacionamento mais profundo, transparente e duradouro?



           






          Tempo de lazer Nossa sociedade tecnológica criou uma diversidade de aparelhos visando poupar o tempo do usuário.  Porém, muitas vezes em que começamos a utilizá-los acabamos nos deixando dominar por eles.  Conheço casais que além da televisão, colocaram também o computador no quarto.  E a Internet acaba se tornando uma grande rival do casal!



           






          Se quisermos desenvolver uma vida sexual recompensadora devemos aprender a diminuir o ritmo, fazer intervalos e criar oportunidades.



           






          Em Cânticos 7.10-12, a Sulamita verbaliza seu amor por Salomão e em seguida sugere que tirem umas férias no campo.  Ela sabia a importância do tempo a sós com o marido, longe de casa, das responsabilidades, para que ambos pudessem relaxar e um ser o centro da atenção do outro.



           






          Esse tempo de férias a dois precisa ser planejado, e colocado na agenda familiar.  Ele pode até parecer algo impraticável, egoísta e não espiritual.  Porém, com toda a pressão que sofremos em nossa sociedade, é absolutamente necessário.  Os casais precisam dedicar algum tempo exclusivo para sua intimidade e desfrute sexual.  O mesmo Deus que oferece as boas novas de salvação ao mundo também criou o sexo.  E o colocou no contexto do casamento para que o casal possa celebrar seu relacionamento, com total liberdade e satisfação.  Deus deseja que cada casal casado aprofunde sua intimidade em todos os níveis e desenvolva entre si uma intimidade sexual que glorifique aquele que a idealizou.



           






          Conclusão: A fonte do verdadeiro prazer é Deus e quanto mais buscarmos Dele para o nosso casamento, mais receberemos



           






          Fonte: Lar Cristão



           






           Os Benefícios do sexo



           






          01 – ALIVIAR A DOR: O prazer sexual tem efeito anestésico.  O limiar de tolerância à dor pode aumentar até 70% no momento do orgasmo – o que explica, entre outras coisas, a superação da dor nas práticas sadomasoquistas.  (E reacende a discussão do milênio: “Afinal, um tapinha não dói?”).



           






          02- ATIVA A DIGESTÃO: Segundo pesquisadores americanos, a saliva que se troca em um beijo “profundo” facilita a digestão e tem efeitos benéficos sobre as defesas do organismo.  Um boca-a-boca fogoso faz circular 9 gramas de água; 0,7 miligramas de gorduras, 0,45 gramas de sal e 250 bactérias.  (Alguém prefere chá de boldo?).



           






          03- MELHORAR O HUMOR: O prazer influencia a produção de serotonina e dopamina, substâncias que “dopam” o cérebro e espalham sensação de bem-estar pelo corpo todo.  (Quando aquela sua colega de trabalho chega toda sorridente em plena segunda-feira, já sabe o motivo, não é?)



           






          04- DESCONTRAIR OS MÚSCULOS: Carinhos sobre a pele produzem um estímulo que chega até o centro motor nervoso.  Quando esse estímulo volta aos músculos, tem efeito relaxante.  (Adeus Lexotan!).



           






          05- DIMINUIR A ANSIEDADE: Carícias têm um verdadeiro poder calmante – graças à liberação das endorfinas.  E como toda atividade física, fazer amor permite botar para fora as tensões musculares, nervosas e psicológicas.  (Vai ter psicólogos e psiquiatras perdendo o emprego…).



           






          06- FACILITAR A FECUNDAÇÃO: O prazer pode favorecer a fecundação, mas isso não é sistemático.  Descobriu-se que, a partir de um orgasmo muito forte, a mulher pode ter uma segunda ovulação em um mesmo ciclo.  (Isso já é preocupante…  ai, ai, ai…)



           






          07- ESTIMULAR A CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA: Durante a excitação sexual, a demanda por sangue aumenta nas zonas erógenas e no resto do corpo também.  No momento do prazer, as artérias se dilatam, provocando uma sensação de bem-estar generalizada.  (E tem gente que ainda usa meias Kendall…).



           






          08- EQUILIBRAR A TIREÓIDE: O prazer sexual favorece o bom funcionamento da tireóide.  Quando a glândula funciona demais, a pessoa sente-se febril, sem energia.  Quando ela não trabalha o bastante, não é melhor: a pessoa sente frio, engorda e sua libido diminui.  (Vamos equilibrar a tireóide!).



           






          09- REGULAR A MENSTRUAÇÃO: Sexualidade mal vivida se traduz freqüentemente por ciclo menstrual irregular.  O prazer sexual favorece o equilíbrio hormonal – e a menstruação na data certa.  Além disso, estudos provam que mulheres que têm bons orgasmos sofrem menos com a tensão pré-menstrual.  (Vamos lá, mulherada!  Vamos diminuir este fardo!!).



           






          10- MELHORAR O SONO: Quando a pessoa se sente bem, o corpo produz endorfinas, que têm poderes calmantes e tranqüilizantes.  (Tá explicado cientificamente porque os homens viram pro lado e dormem em seguida…).



           






          11- MANTER O PESO: Cada relação sexual de 20 minutos faz perder em média 200 calorias – o equivalente a meia hora de tênis ou uma corrida de 1,5 Km.  Se o prazer emagrece pouco, por outro lado produz endorfinas, que acalmam os ataques à geladeira.  (Geladeira?  O que é isso????).



           






          12- DESENVOLVE O ESTRESSE POSITIVO: Boa parte das substâncias necessárias à uma relação sexual de qualidade é produzida pelas supra-renais, pequenas glândulas localizadas acima dos rins que funcionam melhor sob a influência do prazer.  A adrenalina agita os sentimentos em caso de amor à primeira vista; a cortisona age contra a depressão e os hormônios andrógenos estimulam o desejo.  (Já repararam que tudo na vida é uma questão de hormônios?  Até amor à primeira vista!).



           






          13- HIDRATAR A PELE: O prazer aumenta a produção de estrógeno (hormônio sexual feminino), o que faz a pele ficar mais bem irrigada, mais brilhante, mais lisa e mais macia.  (Mulheres : lembrem-se disso antes de gastar todo seu salário no novo lançamento da Lancôme!).



           






          14- MASSAGEAR O INTESTINO: A contração dos músculos abdominais durante o sexo funciona como uma massagem no intestino, o que favorece seu funcionamento.  (Adeus laxantes!).



           






          15- EXERCITAR O CORAÇÃO: O ritmo cardíaco sobe de 70/80 pulsações por minuto no estado de repouso para 100/160 pulsações por minuto.  (Oxigenação fantástica para todas as células!).



           






          16- DESINTOXICAR O SANGUE: Em estado de repouso, cada pessoa respira, em média, 15 vezes por minuto.  Em estado de excitação, a média sobe para 40 vezes.  Conseqüência: o corpo fica mais oxigenado, os resíduos de gás carbônico são eliminados e o sangue se regenera.  É como fazer cooper.  (E tem gente que fica correndo na esteira!)



           






          17- AUMENTAR OS SEIOS: Sob o efeito da excitação, o volume dos seios pode aumentar até 25% – e a sensibilidade se multiplica.  (Isso significa que se ele caprichar nas preliminares, você nem vai precisar colocar silicone!)



           






          18- TONIFICAR O ABDÔMEN: Quando se faz amor com freqüência ou por muito tempo, trabalha-se a região abdominal.  O responsável é o diafragma: acomodado entre a barriga e os pulmões, este músculo se contrai sob efeito da aceleração da respiração e cutuca os músculos abdominais.  (Muito melhor que fazer 200 abdominais por dia!).



           






          19- MELHORAR A MEMÓRIA: O hipotálamo, parte do cérebro onde ficam os centros de memória e de aprendizado, também é estimulado pelo prazer.  Uma pesquisa americana feita com estudantes mostrou que a masturbação durante períodos de prova favorecem a concentração – a liberação de energia durante o orgasmo estimula o desejo de alcançar objetivos.  (Para quem está perdido na vida, sexo é a melhor solução para alcançar objetivos!)



           






          20- ALEGRAR A GRAVIDEZ: Inundado de hormônios, o corpo de uma mulher grávida induz a um aumento da circulação sangüínea, em particular no baixo ventre, o que facilita a relação sexual.  O prazer é ampliado por espasmos agradáveis do útero, que reage mais a estímulos por causa da presença do bebê.



           






          //



           









           






          Casais inteligentes crescem juntos!



           






          “Casamento é um espaço para o crescimento”.



           






          Pr. Josué Gonçalves



           






          Por que algumas pessoas depois que se casam, param de crescer nas múltiplas áreas da vida? Já ouvi maridos e esposas dizendo: O casamento não fez bem para mim, eu mudei para pior depois destes anos de vida conjugal. Se você é casado (a), tire um tempo para fazer um balanço, um inventário do seu casamento. Pegue as fotografias que são registros de como éramos e de como somos hoje.  Pergunte para você mesmo: “O casamento está sendo um espaço para o nosso crescimento?” A fim de lhe ajudar, responda estas perguntas: Seu cônjuge hoje é mais sensível, amoroso, gentil, cordato, feliz, visionário, generoso, carinhoso, atencioso, prestativo, solidário, altruísta do por sua causa? Ele (a) tem sido melhor amigo (a), pai ou mãe, irmão (ã), filho (a) em função da sua influência? Os dois melhoraram ou pioraram com o casamento?



           






              Quando Deus planejou o casamento e a família, o fez para que o mesmo fosse um espaço para todos crescerem:



           






          “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. 7



           






          Veja como os verbos frutificar, multiplicar, encher e dominar fala de crescimento, progresso, prosperidade e enriquecimento. Crescimento deve ser um dos principais propósitos do casamento.



           






                  O que é necessário para que haja crescimento pessoal através do casamento? Há um texto em Gênesis, que mostra como o casal pode experimentar “crescimento” na vivência matrimonial.



           






          (v.1) Ora disse o Senhor a Abrão: ‘Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que te mostrarei’. (v.2) ‘de ti farei uma grande nação, e te abençoarei e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção: (v.3)  abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra'”.



           






          Deus estava mostrando para Abraão quais eram as condições para que ele alcançasse um nível de sucesso que iria marcar gerações. Nenhum outro homem alcançou reconhecimento na história das religiões como Abraão. O seu nome é reverenciado pelas três maiores religiões do mundo, os judeus, os cristãos e os mulçumanos. Foi o próprio Deus quem disse: “Tornarei famoso o teu nome…”, isso faz parte do crescimento. Se você quer crescer neste terreno fértil que Deus te colocou, então veja o que a Palavra do Senhor está dizendo:



           






                  “Sai da tua terra…” O crescimento depende do quanto estamos prontos para as mudanças radicais necessárias. Abraão estava bem instalado em Ur dos Cadeus,2 porém, quem deseja crescer alcançando uma vida marcada pela excelência, precisa aceitar o desafio de sair da zona de conforto e isso implica em se desinstalar. Além da mudança geográfica, era necessário haver em Abraão uma mudança de mentalidade. As mudanças externas são conseqüências das mudanças internas, na mente.



           






          Outro fator determinante é que toda mudança significativa requer coragem misturada com fé. Há uma frase que sempre uso nos meus seminários: “O sucesso é para aqueles que não têm medo de assumir o risco do fracasso”. Qualquer casal que decidir abandonar a terra da mediocridade, da insignificância, da pequenez e do condicionamento, terá que superar o medo e se lançar numa aventura de fé, como fez Abraão. O medo pode se tornar o principal limitador do crescimento de qualquer pessoa. Se Abraão olhasse para as suas limitações e desse ouvido aos pessimistas que sempre estão de plantão, ele não teria chegado aonde chegou e galgado uma posição de relevância na história do povo de Deus. Tenha sempre isso em sua mente, Deus nos criou para a grandeza e não para a mediocridade. Esteja sempre aberto para as mudanças que forem necessárias. Não digo isso para todos os casais, mas às vezes mudar de casa, de cidade, de empresa ou até mesmo de profissão, se a que você esta exercendo não é aquela que se ajusta com a sua vocação, mudar pode levá-lo (a) à um crescimento surpreendente. De repente onde você está não há mais espaço para você ir além do que já foi conquistado. Quero me adiantar em relação aqueles que estão pensando na mudança de “parceiro (a)” conjugal. Esta mudança nunca esteve no plano original de Deus, isto porque a vontade dele é que os dois se tornem facilitadores do crescimento um do outro.



           






          Quando eu e a minha esposa Rousemary olhamos para trás, para avaliarmos o nosso crescimento, concluímos que o grande segredo para termos chegado aonde chegamos e conquistar o que conquistamos, foi a nossa permanente busca de algo sempre maior e melhor, dizendo não ao espírito de comodismo que por vezes quer nos dominar. O nosso lema é: “Agradecido sempre, mas conformado nunca!” Não importa quanto tempo já passou, você pode fazer do seu casamento um espaço para o seu crescimento, pois está escrito em Eclesiastes que há uma grande vantagem em ser “dois” e o “cordão de três dobras” não se quebra com facilidade.3  O segredo é um ser o facilitador do crescimento do outro. Responda com sinceridade: – Você tem sido o (a) facilitador (a) do crescimento do seu cônjuge? Você sempre esteve aberto (a) para as mudanças necessárias? Você é uma pessoa que não se deixa vencer pelo espírito do conformismo? Você se inspira no sucesso de alguém para nunca parar de crescer?  Numa avaliação sincera, seu crescimento está sendo expressivo? Você é uma pessoa de atitude? Após responder essas perguntas, converse com o seu cônjuge e tome a decisão de começar alguma mudança relevante a partir de hoje.



           






          “Sai… da tua parentela…” Algumas pessoas podem atrapalhar o seu crescimento e comprometer aquilo que Deus tem para sua vida. A princípio, Abrão não entendeu o que Deus estava dizendo, por isso ele levou consigo o seu sobrinho Ló. 3  Observe que durante o tempo que Ló esteve com Abrão, ele foi o grande impedimento. Guarde isso, uma pessoa pode comprometer o seu crescimento por muito tempo. Uma secretária do lar, um funcionário na empresa, um “sobrinho” em casa, um amigo que exerce muita influência, um irmão, um cunhado, um (a) sócio (a), etc. O meu amigo, pastor José Maria, sempre diz: “Não dê carona para quem está fugindo de Deus, pode ser um Jonas atraindo tempestade para o seu barco”. 5 Não reclame daquilo que você tolera, disse Mike Murdoque. Uma única pessoa, Jonas – “atrasou a viagem” de uma multidão e provocou um prejuízo enorme, veja o que texto bíblico diz:



           






          “…fez no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar. Então os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus, e lançavam ao mar a carga, que estava no navio, para o aliviarem do peso dela. Jonas, porém, havia descido ao porão, e se deitado; e dormia profundamente”.6 (grifo do autor)



           






          Geralmente, a pessoa-problema tem uma marca característica, a indiferença, “…dormia profundamente”. É impressionante, todos estavam lutando para resolver o problema, menos Jonas, a causa. Qual foi a solução? Primeiro buscaram saber por causa de quem tudo aquilo estava acontecendo7. Quando encontraram quem era a causa do problema, oraram, e “…levantaram a Jonas e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria”.8 Infelizmente muitas pessoas, por causa de um sentimento de pena, dó e medo, não mexem com aquele (a) que é o (a) causador (a) do atraso, do prejuízo, da falta de crescimento. Agora veja o que aconteceu com Abrão em relação ao seu sobrinho Ló:



           






          “Disse o Senhor a Abrão, depois que Ló se separou dele: Ergue os olhos e olha desde onde estás para o norte, para o sul, para o oriente e para o ocidente, porque toda essa terra que vês, eu ta darei, a ti e à tua descendência, para sempre”. 9



           






             



           






          Foi necessário Ló separar-se de Abrão para que Deus pudesse mostrar o que estava reservado para ele como conquista. Existe situações na vida que exigem que tomemos uma decisão radical, mesmo que isso gere uma crise temporária. Não tenha medo de lançar o seu “Jonas” no mar, porque para cada “Jonas” Deus sempre tem um peixe grande para conduzi-lo ao lugar certo. Pelo contrário, não reclame daquilo que você tolera.



           






          “Sai… da casa de teu pai…” Será que os pais podem ser um limitador do crescimento dos filhos? Se Deus impediu que Abrão levasse seus pais consigo, é porque isso poderia de alguma forma atrapalhar os propósitos de Deus para a dele. Fazendo uma conexão entre dois textos, há uma semelhança na resposta que Jesus dá aos fariseus quando foi perguntado sobre o divórcio:



           






          “Não tendes lido que o Criador desde o princípio os fez homem e mulher, e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne?”10



           






          Alguns filhos, depois que se casam, não conseguem progredir como deveriam, porque não foram capazes de cortar o cordão umbilical de dependência dos pais.



           






                  Aprendendo com a águia.



           






                  A forma como a águia trata os filhotes quando chega o momento de eles começarem a voar, nos ensina uma grande lição. Os pesquisadores dizem que quando os filhotes chegam no tempo de aprender a voar, a águia-mãe destrói o ninho que é sempre construído em uma rocha, num lugar muito alto. Depois de ter destruído o ninho, ela empurra os filhotes despenhadeiro abaixo, e fica atenta, porque se eles não conseguirem voar, então ela da um mergulho a fim de salva-los de uma tragédia fatal. Apesar de ser uma maneira dura e radical de treinar os filhotes, é assim que os nossos filhos “aprendem a vencer na vida”, quando os tiramos do lugar de conforto, para que eles aprendam a voar e atingir patamares elevados na vida.



           






          No casamento é imprescindível que homem e mulher “deixem” pai e mãe para unirem-se um ao outro até que a morte os separe.10 Você conhece o ditado popular que diz: “Ninguém cresce na sombra”. Quantos casais moram literalmente na casa dos pais e isso tem sido a causa maior da estagnação. Sempre que faço um aconselhamento pré-conjugal, oriento os jovens a não morar com os pais, pois isto impede o crescimento dos dois nas múltiplas áreas da vida.



           






          Quando me casei, logo no início da caminhada, passei por um tempo de crise financeira. Houve dias que não tínhamos o dinheiro da passagem do ônibus para irmos à igreja, íamos a pé, mas não aceitamos viver na dependência das ajudas que poderiam vir da casa da nossa família, da igreja, da assistência social, etc. Enquanto não se abria uma porta de emprego em uma empresa, fiz de tudo que alguém pode fazer no trabalho informal: vendi refrigerante em feira de automóvel, fiz serviço de pedreiro, vendi livros, tapetes que a minha esposa pintava, artesanatos, etc. Os casais que vencem na vida são aqueles que não aceitam comer o pão da preguiça usando os pais como “tábua de salvação” sempre.



           






          Se você é pai, nunca seja o limitador do crescimento dos filhos. Pais super-protetores não treinam seus filhos para vencer na vida. Pais que como a águia, destroem o ninho no tempo em que os filhos devem começar a aprender a “voar“, estes formam filhos vencedores. Lembre-se, não existe crescimento sem dor!!! O casamento e a família precisam ser um espaço para o crescimento. É neste espaço que Deus quer fazer de cada um uma bênção, engrandecendo o seu nome, como fez com Abrão.



           






          ________________



           






          1)   Gênesis 12:1-3



           






          2)   Gênesis 11:28



           






          3)   Eclesiastes 4:9-12



           






          4)   Gênesis 12:5



           






          5)   Jonas 1:1-17



           






          6)   Jonas 1:4,5



           






          7)   Jonas 1:7



           






          8)   Jonas 1:15



           






          9)   Gênesis 13:14-15



           






          10)       Gênesis 2:24,25



           






          ____________________________________________________________



           






          VIRGINDADE – AINDA TEM VALOR PARA DEUS?
          Por: Ellen Murta da Cunha Santos



           






          Antes de começarmos a falar sobre a virgindade, quero que conheçam a história desses dois jovens.



           






          Jussara acha que sua vida acabou.



           






          Jovem de 22 anos, cursando o primeiro ano da universidade, membro de uma igreja batista, ela acaba de perder sua virgindade. Cheia de remorso, ela pensa em como vai encarar seus pais, seu pastor, a equipe de louvor da qual faz parte… Ela nem mesmo se considera digna de orar. Pensamentos de morte passam por sua mente.



           






          Tiago vive um problema bem diferente.



           






          Ele é igualmente membro de uma igreja batista, tendo sido educado desde cedo na Palavra. Mas, no momento, ele se sente oprimido, rejeitado e perseguido. A razão? Aos 17 anos, Tiago é o único virgem de seu grupo de amigos. Cansado de ser ridicularizado e de se perguntar o que há de errado com ele, Tiago planeja muito em breve mudar essa situação.



           






          Os personagens e narrativas acima são fictícios. Mas o dilema que muitos jovens cristãos vivem acerca do tema virgindade é bastante real. Como pode haver posturas tão radicalmente opostas à mesma questão? Onde está a verdade? O que a Palavra de Deus aconselha ao jovem cristão?



           






          Para esclarecer tantas dúvidas, vamos primeiro compreender alguns conceitos, entre eles o dá aliança, é isso mesmo aquela aliança que seus pais usam que muito não entendem seu real valor e que na bíblia nos mostra o seu grande significado.



           






          A aliança é a decisão de que vou amar outra pessoa para o resto da vida. Ela não pode ser desfeita. Nada, além da morte, pode quebrar uma aliança, por isso o símbolo desse pacto é um anel de ouro, onde nele não existe começo, nem fim.



           






          Deus fez uma aliança com o seu povo, de que Ele nunca nos deixará e Ele nunca nos abandonará (Hb 13:5). Ela é inquebrábel.



           






          Pena que nos dias de hoje, a aliança tem perdido seu valor, ela tem se tornado “frágil”, com tantos divórcios e separações ela esta ficando cada vez mais extinta.



           






          Em 1Pedro 1:19 podemos fazer uma ponte entre a aliança e a virgindade, onde Deus faz uma exortação á santidade e compara o precioso sangue de Cristo,como de um cordeiro sem mancha e sem defeito.Naquela época sempre que alguém fazia uma aliança com Deus,havia um derramamento de sangue, um animal era morto e ele deveria ser o mais bonito e perfeito para ser oferecido á Deus.



           






          A aliança que Deus estabeleceu conosco teve que ter o sacrifício e o derramamento do sangue de Jesus na cruz. É através disso que temos a certeza do amor e fidelidade de Deus, pois Ele deu Seu único filho para morrer por nós.



           






          Quando o rapaz e a moça se guardam sexualmente até a primeira noite de núpcias e têm a sua primeira relação sexual, geralmente ocorre um sangramento devido à ruptura do hímem. Nesse momento é estabelecida uma aliança entre esse homem e essa mulher que não é simbólica, ela é real.



           






          E até este dia chegar às mulheres, antigamente e muitas de hoje, sonhavam em entrar na igreja com véu e um maravilhoso vestido branco, que é o símbolo da pureza, e que lá na frente do altar um lindo homem a espera para enfim lhe entregar a aliança. E enquanto aos homens, os que lhes eram ensinados nem sempre vinham da bíblia.



           






          Por exemplo, no passado havia um padrão para o homem e outro para mulher. Ao homem tudo era permitido, enquanto a mulher tinha que se guardar. A mulher que perdesse sua virgindade era discriminada, enquanto o menino tinha que provar sua masculinidade, muitas vezes com o uso de prostitutas.



           






          Com a revolução sexual, a desigualdade acabou – mas isso não significa que foi o melhor. Ao invés de os homens seguirem o padrão de pureza das mulheres, foram elas que adotaram a libertinagem masculina. Hoje, é o rapaz ou a moça virgem que se sentem discriminados. Tanto num caso como em outro, o jovem cristão se encontra numa encruzilhada.



           






          Vimos pensar na importância da aliança. Saber o que Deus tem a dizer quanto ao assunto…



           






          O padrão de Deus: pureza para homens e mulheres



           






          A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual.



           






          “Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já lhes dissemos e asseguramos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade. Portanto, aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus, que lhes dá o seu Espírito Santo” (1 Tessalonicenses 4.3-8).



           






          Deus tem uma proposta para nossa vida sexual: a pureza.



           






          Em nosso mundo pós-revolução sexual, conceitos como pureza, castidade e virgindade passaram a ser vistos com maus olhos. Passaram a ser associados a pessoas santarronas, emocionalmente desequilibradas, ou no mínimo hipócritas. Nossa sociedade criou uma verdadeira “indústria do sexo”, e os jovens, os adolescentes – e até mesmo as crianças – são pressionados a iniciar uma vida sexual cada vez mais precoce.



           






          A sociedade de hoje entende que o corpo é propriedade privada de cada um – “o corpo é meu e eu faço com ele o que eu quiser!” A Palavra de Deus, no entanto, mostra um caminho diferente. A vida sexual não é um assunto privado, do qual você não precisa dar conta. Existe um Deus a quem você tem que responder, e princípios determinados por ele para você seguir.



           






          Entre esses princípios está a pureza – tanto para homens como para mulheres. Deus não é parcial, nem criou um princípio para um e outro pra outro. Ao contrário do que a sociedade costumava apregoar décadas atrás, não existem “dois pesos e duas medidas”. Pureza e santidade devem ser tratados seriamente tanto pelos jovens quanto pelas jovens.



           






          Não seja uma “vaquinha de presépio”



           






          “Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente, armem-se também do mesmo pensamento, pois aquele que sofreu em seu corpo rompeu com o pecado, para que, no tempo que lhes resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus. No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante. Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam. Contudo, eles terão que prestar contas àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos” (1 Pedro 4.1-5).



           






          Se em outros tempos havia uma forte pressão social para manter a virgindade – especialmente entre as mulheres – hoje a pressão social é justamente para perdê-la. Nas escolas, faculdades, rodas de amigos, a sociedade discrimina – às vezes de maneira cruel – aqueles que nunca tiveram uma experiência sexual.



           






          Desde os tempos bíblicos, aqueles que não têm uma experiência com Cristo não entendem o comportamento dos cristãos. Acha nosso comportamento estranho, uma verdadeira loucura. E não apenas quando o assunto é a sexualidade. Essa tensão também se manifesta no momento em que o cristão é honesto quando poderia facilmente corromper-se; quando perdoa alguém que lhe fez grande mal; quando confia em Deus para se ver livre de um problema, ao invés de agir desonestamente.



           






          Este conflito sempre vai existir para um cristão num mundo não-cristão. Se você vive sem estes conflitos, é hora de avaliar se você não está se conformando aos padrões e valores do mundo. Deus nos chama a um compromisso radical com ele, que nos leva a sermos mal-vistos, humilhados e perseguidos. Mas existe recompensa. Leia Mateus 5.10-12.



           






          Uma palavra para os namorados (as)…



           






          Para facilitar o entendimento de vocês acerca do que é um relacionamento segundo a vontade de Deus é preciso criar e modificar certos hábitos no namoro. O autor Jim Burns, em seu livro “O Prazer da Espera” nos dá seis orientações para ajudar a superar a tentação sexual no namoro:



           






          Converse sobre o assunto com sua namora (o)
          Um bom relacionamento implica em manter uma comunicação aberta e franca.



           






          Estabeleça padrões
          Antes de ser levado pelo calor das emoções, estabeleça padrões de comportamento que sejam corretos para ambos, assim será mais difícil “avançar o sinal”.



           






          Planejem encontros divertidos e agradáveis
          Podemos ver em Mateus 4 que Jesus foi tentado.Ele fora levado pelo Espírito ao deserto, e ali ficou solitário durante quarenta dias.Isso nos lembra que a tentação se torna mais suscetível quando estamos sós, podemos até estarmos na multidão, mas nosso coração e nossa mente deve estar sempre voltados á Deus.



           






          Para fugir da tentação a melhor coisa a fazer então, é planejar encontros com outros casais.



           






          Orem juntos
          “Vigiar e orai, para que não entreis em tentação, o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.”( Mt 26:41).



           






          A oração é a principal ponte que estabelecemos com Deus, então ao orar juntos ambos estarão mais perto de Deus e para mais perto um do outro, e assim estabelecerão prioridades adequadas para o seu relacionamento.



           






          Parem
          Se o seu relacionamento está se tornando ruim, não tema em romper, pois existe a possibilidade de vocês voltarem mais tarde, quando ambos já estiverem mais maduros.



           






          Permitam que Deus participe do seu namoro
          Se você, como cristão, permitir que Deus desempenhe um papel ativo em sua vida amorosa, conseguirá escapar mais facilmente da tentação.



           






          Se você possuí um relacionamento íntimo e crescente com Deus, certamente ele quer estar presente em sua vida amorosa também e conduzir vocês para um caminho santo e vitorioso, para que lá na frente vocês vejam a glória Dele, mas para isso é preciso que haja renúncia e mudança de vida a começar agora.
          Que possamos desejar estabelecer um relacionamento baseado na aliança de Deus.



           






          “Errei. E agora?”



           






          “Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus” (1 Coríntios 6.9-11).



           






          Este texto traz várias implicações importantes. A primeira delas é que a impureza sexual é, sim, pecado. Paulo nos relembra que imoralidade, adultério, homossexualismo e outros tipos de impureza sexual são pecado e, portanto, ofendem a Deus.



           






          Em segundo lugar, somos advertidos de que estes não são os únicos pecados que existem, nem as únicas coisas que ofendem a Deus. A avareza (“pão-durismo”), calúnia (fofoca), desonestidade, idolatria, produzem a ira de Deus na mesma proporção que os pecados sexuais – não existe uma hierarquia de pecados. Existem nas igrejas rapazes e moças virgens que estão “crentes que estão abafando”, mas são invejosos, presunçosos, indiferentes ao sofrimento alheio – e que precisam se arrepender.



           






          Em minha visão, no entanto, a mensagem mais bonita deste texto está em seu final. Após apresentar essa lista horrorosa de pecados, Paulo declara que os cristãos de Corinto haviam praticado todos eles! “Assim foram alguns de vocês”. Repare o tempo verbal: “foram”. Alguns daqueles irmãos viveram na prática de terríveis pecados – mas isso agora era parte de seu passado! No presente, a identidade deles era de pessoas “lavadas, santificadas e justificadas” em Jesus e no Espírito Santo.



           






          Querido jovem, amada jovem, conscientize-se de que Deus deseja produzir em seu caráter uma série de atitudes – pureza, honestidade, inocência, sinceridade. Características que o dicionário associa à palavra “virgem”. Deus não deseja que você peque em nenhuma área. No entanto, se você pecou, não esqueça que o sangue de Jesus lhe purifica de todo o pecado – sem exceção! Aos olhos do Pai, todo aquele que se achega em arrependimento e fé é puro, casto, intacto – em suma, “virgem”. Esta é a virgindade que importa para Deus.



           






          ___________________________________________________________



           






          Recomendação de texto efetuada em 1/2/2010 às 11:51h:



           






          SEJA UM INFLUENCIADOR DE SUA FAMÍLIA
          Por: Luiz Clédio



           






          Um homem temente a Deus é uma arma tremenda nas mãos de Jesus. Portanto se você sabe exatamente quem você é e o que está fazendo aqui, pode perceber as pessoas sem orientação de Deus, arriscando perder a identidade familiar, devido à influência das tradições e paixões dominadoras do mundo. Sua inspiração vai sugerir incutir a quebra desses paradigmas para excitar a renovação das coisas que não funcionam.



           






          Conheço uma família com um filhinho de dois anos. Fiquei impressionado. A influência do pai sobre a criança é tanta que ele chama sua mãe de “a papai”. Isso mesmo. Um contraste do que vimos na série de TV “A Família Dinossauro”. No cotidiano da família Silva Sauro, o bebê chamava seu pai, “não é a mamãe”.



           






          Por ausência da influência paterna, muitos filhos não conseguem assimilar a personalidade do pai e terminam imitando a mãe.



           






          O sucesso profissional que trouxe a estabilidade financeira ou a disposição na luta cotidiana para o sustento da família; a libertação iniciada por Jesus com a conversão, não foram dados por Deus para serem confinadas em si, como uma vitória individual, mas para se tornar conhecida e contagiar a todos principalmente os que vivem sobre sua influência. Do contrário você pode se distanciar demais, afetando o entusiasmo da família (Mc. 4: 21-25).



           






          A sociedade capitalista fez com que os pais perseguissem o desejo da estabilidade financeira porque afirma trazer brio junto à família. Tomado como legitimação pelo desejo de ver os filhos seguros e assistidos, mesmo porque o que o governo garante como saúde, escola, morada, transporte e outras necessidades básicas é uma vergonha; os pais são tentados a negar radicalmente a função de influenciador, entregando-a a qualquer autoridade escolar ou forma de sociedade o que de direito exclusivo recebera de Deus.



           






          Se você se preocupa de fato com seu filho, seja uma influência positiva para ele e ele te elogiará (Rm 13.3), mas se você quer ser deus, senhor e juiz absoluto para seu filho, dando toda segurança que o mundo não pode dar, mas, contudo sem a presença influenciadora do seu amor, se prepare para testemunhar o dia da revolta dele contra toda estrutura que você lhe deu.



           






          Os filhos com formação sem limites ao completarem dezoito anos, a primeira coisa que eles dizem aos pais é que agora já podem ser preso, portanto não são mais obrigados a irem à igreja. Dependendo do seu próprio zelo (por não terem influência paterna), terminam encontrando numa grande árvore no meio da madrugada, a morte precoce entre as ferragens do seu carro novo – presente do pai por entrar na faculdade “particular”, embora o presente mais pareça um “cala a boca”. Isso quando não perdura transformando o dito em uma espécie de “filho cangurú” envelhecendo em casa as custa dos pais.



           






          Sem constituir família embora possa, tornam-se como galhos secos sem fruto.



           






          Atrase um pouco seu passo caso você possa fazer isso com mais facilidade que os outros. Não compensa se distanciar demais dos seus filhos, mesmo que isso seja para trazer mais êxito financeiro. Melhor, é andar junto daqueles a quem você ama para não perder a influencia do amor familiar.



           






          Seja um influenciador da sua família e viva feliz.



           






          Lute pelo seu casamento






          texto efetuada em 1/2/2010 às 10:05h:






           



           





















          Lute pelo seu casamento





























          Há uma considerável lista de fatores que contribuem para os problemas conjugais, que vão desde dificuldades financeiras até a incompatibilidade de gênios. Entretanto, o que será considerado aqui é a formação de apego afetivo.Desde bem pequenos os seres humanos têm a necessidade de cuidados por parte de outrem. Durante o período de formação da personalidade existem algumas circunstâncias fundamentais a serem desenvolvidas. O vínculo afetivo é um elemento primordial nesta categoria. Ele é básico. Do latim, vinculum: atadura, laço, aquilo que une.Estudos conceituam o vínculo afetivo como sendo fundamental para as relações humanas. Alguns psicólogos acreditam que deve ocorrer algum relacionamento logo no início da vida da criança se quiser que ela forme, mais tarde, vínculos significativos.O que tem se tornado presente durante a estruturação da personalidade infantil são os contatos superficiais, cuja preocupação localiza-se em prover a criança com alimentos, moradia e escola. Todavia, são insuficientes. E, ainda, muitas mudanças geográficas e/ou trocas constantes de cuidadores dificultam a formação do vínculo.Posteriormente, na vida adulta, muitos obstáculos nas relações humanas relacionam-se a esta precariedade de vínculo. As pessoas não conseguem perceber este tipo de deficiência em seus relacionamentos. Focalizam os problemas em outras questões, ou ainda, preferem nem tocar no assunto. Há casos em que ignoram a possibilidade de lançar mão de uma psicoterapia.Entretanto, perde-se a chance de resolver na causa os efeitos de uma convivência difícil. 
          Nestes casos, especificamente, onde houve uma deficiência na formação de vínculo na infância e as decorrências comprometem os relacionamentos subseqüentes, daremos o nome de Síndrome do Comportamento de Hospedagem ou SCH.No relacionamento de um casal onde há a presença da SCH, quando entra na rotina da convivência, faz surgir um novo tipo de comportamento. A pessoa age, inconscientemente, de forma semelhante a um hóspede dentro de sua casa. Realiza as suas atividades comuns. No entanto, a sua forma de ser apresenta frieza, ocasionada pelo distanciamento. Aos poucos, vai agindo como se estivesse hospedada na casa, cumprindo com alguns papéis pertinentes, todavia, trata as questões, antes parcimoniosas, de forma independente.Deixa as responsabilidades, sobretudo as domésticas, para o outro cuidar. Onde havia uma atmosfera de cordialidade e doçura, passa a existir um espectro de isolamento e pesar. O outro vai percebendo esta diferença e acaba por se sentir, pouco a pouco, só. A sensação deste isolamento origina-se na forma pela qual a ausência do vínculo se manifesta nesta relação.As discussões passam a existir com uma freqüência crescente. Os conflitos podem surgir e avoluma-se no processo bola-de-neve. A pouca consciência a respeito da SCH provoca a discórdia entre o casal, atingindo quem estiver por perto nesta convivência, via de regra, os filhos. Lembranças e cobranças de como a vida conjugal era boa anteriormente são lançadas no calor das discussões. Isto faz aquecer ainda mais o desentendimento. Esta é uma situação estressante para o casal, podendo levar os seus envolvidos à depressão e outros males, além da separação.Este comportamento reflete o quanto o seu portador, inconscientemente, procura manter distância afetiva do outro para que não haja envolvimento.Por se tratar de uma síndrome enraizada na formação vincular faz-se necessária uma avaliação psicológica. Além de indicar tratamento através de profissional especializado nas relações familiares, objetivando as mudanças terapêuticas necessárias.Não raro, crê-se que a síndrome nasceu dentro do relacionamento. Todavia, ela foi desencadeada, apenas, durante o convívio. A pessoa não enxerga o problema já antigo. É possível comparar relações anteriores a atual e sentir que há algo semelhante nelas. Contudo, é insuficiente para aceitar a síndrome e o seu tratamento. O jogo de culpa é apenas um instrumento para se defender, na tentativa de diminuir as péssimas sensações diárias. De nada adianta. Só aproxima o casal da separação. Separar, por sua vez, traz de volta o estado de isolamento requerido pela síndrome.Buscar ajuda especializada é o remédio para este mal. Crer numa solução de poucos recursos como o esperar o tempo como agente de mudanças é dar oportunidade para que se instale a piora da SCH. Uma boa avaliação psicológica pode dar novos rumos às vidas das pessoas que pretendem o convívio.Dialogar, e, entenda-se bem, conversar com o coração aberto, oferece uma primeira abertura para se compreender a vida do casal. Dar o primeiro passo pode modificar aquilo que já era considerado algo inevitável, como a separação. Há uma necessidade de crescimento por parte das pessoas envolvidas. O grau de maturidade determinará o quanto se quer conviver bem. Ambas as partes devem estar dispostas e comprometidas em participar deste processo, apoiando-se.Cuidar da questão, alterando o comportamento de hospedagem para o de comprometimento afetivo em conjunto permite existir a unidade fundamental das relações conjugais: a dependência equilibrada e necessária do vínculo. Vale a pena lutar com vontade, ajuda e conhecimento. *****************************
          DICA DE LEITURA
          Pr. Gilson Bifano recomenda a leitura do livro: “Amor e respeito”.  Diz ele: “Uma das maneiras de lutar pelo casamento é seguir as instruções de Deus. Marido amando a esposa e esta, respeitando-o”.*****************************Armando Correa de Siqueira Neto é psicólogo e psicoterapeuta. Desenvolve treinamentos organizacionais e palestras com Psicologia Preventiva e eventos educacionais. 
          E-mail: selfpsicologia@mogi.com.br  






          Milagre no Casamento


















           



           






          A Bíblia narra um milagre extraordinário, operado por Jesus Cristo, nosso Senhor.



           






          É o relato de como um casamento foi tocado pelo poder de Deus, e de como o seu casamento poderá ser tocado também! Observemos o relato bíblico: “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus; e foi também convidado Jesus com seus discípulos para o casamento. E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Disse então sua mãe aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. Ora, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. Ordenou-lhe Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.



           






          Então lhes disse: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E eles o fizeram. Quando o mestre-sala provou a água tornada em vinho, não sabendo donde era, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o mestre-sala ao noivo e lhe disse: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. Assim deu Jesus início aos seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.” João 2.1-11 Este foi o primeiro milagre que Jesus realizou, e não é em vão que tenha acontecido justamente num casamento!



           






          As Escrituras dão testemunho através disto, mostrando-nos que antes de Jesus realizar qualquer outro milagre de cura, libertação, etc. está interessado em agir nos casamentos. A família tem prioridade no plano de Deus, pois Ele não a criou para o fracasso, e sim para ser bem sucedida. Percebemos também que o milagre ocorrido deu-se em torno de haver ou não VINHO, que na Bíblia é uma figura de alegria (Salmo 104.15). Nos casamentos, o que vemos e ouvimos é que o vinho sempre acaba. Pessoas que viviam embriagadas de amor pelo cônjuge, assistem perplexas seus sentimentos desaparecerem. O matrimônio, de maneira geral está falido, pois o vinho sempre acaba.



           






          Mas quando Jesus está presente aí é que se estabelece a diferença! Milagres acontecem e ele traz vinho novo aonde já não mais existia. Mas perceba que o milagre aconteceu porque Jesus estava lá. Ele e seus discípulos foram convidados para simplesmente estarem nas bodas; não receberam um chamado de última hora só porque os noivos precisavam de um milagre. Ele havia sido chamado para estar junto… E porque estava presente, operou o milagre!



           






          De maneira semelhante, se você quer um casamento que dure, que sobreviva à falta do vinho (alegria), convide o Senhor Jesus para estar presente. Não espere a crise chegar, cultive sempre a presença dele por meio de oração e leitura da Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. E não apenas leia, mas pratique a Palavra, pois o milagre acontece aonde há obediência; foi dito aos serventes que fizessem tudo o que Jesus mandasse, e porque fizeram sem questionar se era racional ou não, receberam o milagre. Podemos observar ainda algumas figuras neste texto:



           






          O número 6 – Havia seis talhas. Na Bíblia, este número sempre fala de algo que é humano. O homem foi criado no sexto dia (Gn 1.27,31). E o seis é chamado número de homem (Ap.13:18). Portanto, percebemos que o milagre não depende só de Deus, mas há uma participação e um fator humano ligado a este milagre no casamento.



           






           As talhas – o significado espiritual destas talhas estão apontando para a parte que nos toca no que tange a receber o milagre de Deus. O seis fala do homem, e aqui entendemos nossa participação no milagre. As talhas eram o recipiente para o vinho que o Senhor Jesus transformaria. Normalmente eram pedras talhadas, cavadas. Isto sugere o quão duro somos no que tange aos relacionamentos e o quanto precisamos ser trabalhados por Deus em nossa forma de ser e agir no matrimônio. Quanto mais cavados nos deixamos ser pelo agir de Deus, maior será nosso potencial para receber o vinho. Uma pedra pouco cavada, comporta pouco vinho, mas uma pedra bem trabalhada comporta mais vinho!



           






          A água – Era a matéria prima necessária para que o milagre pudesse acontecer. Não havia água nas talhas, Jesus foi quem mandou enchê-las. A água simboliza a Palavra e também o Espírito Santo. Nos lares onde o vinho chega a acabar, e todo o prazer do relacionamento desaparece, temos percebido que além dos erros cometidos na esfera natural, havia também falta de água; não havia o cultivo diário da presença de Deus por sua Palavra (lida e praticada) e a presença viva de seu Espírito. Creio ser esta a chave do milagre. É importante se deixar ser trabalhado (o que é diferente de ser manipulado pelo cônjuge) na forma de se relacionar, mas se estas talhas não forem cheias da presença de Deus o vinho não aparecerá! Vale também ressaltar que quanto mais água aqueles servos colocassem nas talhas, mais vinho haveria; ou seja, o milagre de Deus em nosso casamento esta diretamente relacionado com o investimento que fazemos em cultivar Sua presença. Finalizando, quero chamar sua atenção para a qualidade do milagre. Jesus deu o que havia de melhor em matéria de vinho, a ponto de o mestre-sala se impressionar e comentar que normalmente se bebe o melhor vinho e, depois de o terem desfrutado, oferece-se o inferior. Assim é com a maioria dos relacionamentos conjugais; bebem o melhor vinho nos primeiros anos, depois a qualidade cai e assim é até que acabe. Mas quando Deus faz um milagre, o que se experimenta é algo inédito, muito superior a tudo o que já se experimentou até então. Deus nos dá o melhor, sempre!



           






          Tenho visto isto no dia-a-dia dos casamentos que tenho acompanhado como pastor, portanto sei do que estou falando. Deixe Deus ser não apenas o Criador do matrimônio, mas aquele que oferece toda manutenção necessária. Quando isto acontece, não somente somos beneficiados com um lar melhor, mas Deus recebe glória. O vinho dos lares cristãos deve ser o da mais alta qualidade… Se você reconhece que o vinho acabou (ou está quase acabando) em seu matrimônio, creia na vontade de Deus de agir nos casamentos. Renove o convite ao Senhor Jesus para estar em seu lar, pratique estes princípios espirituais e seja feliz como o Pai Celestial sempre quis que cada casal fosse!



           






          Fonte: http://blogdosubira.wordpress.com/



           










          Deixe um Comentário



           






          Publicado em Sem categoria



           









           






          NÃO TOME DECISÕES COM BASE NAS EMOÇÕES






          Na minha leitura biblica devocional de hoje, me deparei com um homem e uma mulher que não soube colocar inteligência nas suas emoções, por isso agiu de forma irracional (Mc 5.14-29). Herodes, na sua festa de aniversário, ao ver a filha da sua amante dançando, ficou encantado e dominado por suas emoções disse à jovem: pede o queres que eu vou lhe dar. Orientada pela sua mãe, ela pediu a cabeça de João Batista, simplesmente porque a verdade que ele dizia a incomodava. Herodes não podia negar porque tinha feito um juramento, então mandou assassinar o precursor de Jesus.
          O grande desafio de todos nós é viver a vida tendo as redeas das emoções nas mãos, isto é, auto controle emocional. Herodes, um líder que não agiu com equilibrio. Uma decisão com base apenas nas emoções, pode resultar em tragédia, morte e prejuízos irreparáveis. A razão principal porque Jesus nunca errou nas suas decisões no exercício do seu ministério, é porque todas as suas decisões eram dirigidas por princípios. Quando as nossas respostas aos estimulos, são dirigidas por princípios, sempre acertamos e contabilizamos lucros em vez de prejuízos.
          A palavra chave na vida das pessoas que mantém as redeas das emoções nas mãos, é: proatividade. Pessoas proativas, pensam antes de responder, tem iniciativa própria, sabem dizer não para si mesmas sempre que necessário, são otimistas e visionárias. A semelhança de Herodes, quem age precipitadamente, amanhã ira chorar com a dor do remorso. Nossas decisões devem ter propósitos bem definidos, a glória de Deus e o bem estar do próximo. Qualquer decisão que não passar por este filtro, deve ser abortada. Se Herodes tivesse isso em mente, ele não teria matado aquele que lhe falou a verdade, João Batista.
          Antes de tomar qualquer decisão relevante, conte até dez e se for necessário, até cem ou mil, quem pensa antes de agir sempre constrói o seu destino debaixo da bênção e não da maldição.






          Bragança Pta, SP
          www.familiaegraca.com.br



           















          UM DEFEITO NA MULHER










          Às vezes fico pensando se no mundo houvesse só homens. Com certeza, viveríamos em um ambiente pobre de sensibilidade, meio cinzento, frio e com pouca emoção, pois estes dons Deus fez sobressair nas mulheres. Alguém afirmou que Deus fez o homem com a mulher embutida nele, por isso quando o marido abraça a esposa, ele esta abraçando o seu melhor lado, o mais sensível e delicado.
          Benditas mulheres,
          Brancas, negras ou loiras
          Mulheres guerreiras
          Geradoras de vidas
          Mãe, filha, sogra ou nora
          Mulheres que se doam, perdoam e não entregam,
          Bendita mulheres!!!
          Fiz esta introdução porque quero que você leia até o final este texto que recebi hoje em minha caixa de e-mail’s, vale a pena ler até o final.



           






          Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de trabalho fazendo horas extras. Um anjo apareceu e Lhe disse: “Por que leva tanto tempo nisto?” E o Senhor respondeu: “Já viu a minha ficha de especificações para ela?” “Deve ser completamente lavável, mas sem ser de plástico, ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que possa acomodar quatro crianças ao mesmo tempo, ter um beijo que possa curar desde um joelho arranhado até um coração partido e fará tudo isto somente com duas mãos”.



           






          O anjo se maravilhou com as especificações. “somente duas mãos….Impossível!” e este é somente o modelo básico? É muito trabalho para um dia… Espere até amanhã para terminá-la.”



           






          Isso não, protestou o Senhor. Estou tão perto de terminar esta criação que é favorita de Meu próprio coração. Ela se cura sozinha quando está doente e pode trabalhar jornadas de 18 horas.” O anjo se aproximou mais e tocou a mulher.



           






          “Mas o Senhor a fez tão suave…”
          “É suave”, disse Deus, “mas a fiz também forte. Você não tem idéia do que pode agüentar ou conseguir”. “Será capaz de pensar?” perguntou o anjo. Deus respondeu: “Não somente será capaz de pensar mas também que raciocinar e de negociar” O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a bochecha da mulher….. “Senhor, parece que este modelo tem um vazamento… Eu Lhe disse que estava colocando muita coisa nela…” “Isso não é nenhum vazamento… é uma lágrima” corrigiu-o o Senhor. “Para que serve a lágrima?” perguntou o anjo e Deus disse: “As lágrimas são sua maneira de expressar seu destino, sua pena, seu desengano, seu amor, sua solidão, seu sofrimento, e seu orgulho.”
          Isto impressionou muito ao anjo “O Senhor é um gênio, pensou em tudo. A mulher é Verdadeiramente maravilhosa” Sim é! A mulher tem forças que maravilham aos homens. Agüentam dificuldades, levam grandes cargas, mas têm felicidade, amor e alegria. Sorriem quando querem gritar. Cantam quando querem chorar.
          Choram quando estão felizes e riem quando estão nervosas.
          Lutam pelo que crêem. Enfrentam à injustiça. Não aceitam “não” como resposta quando elas crêem que há uma solução melhor. Privam-se para que a sua família possa ter. Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir. Amam incondicionalmente. Choram quando seus filhos triunfam e se alegram quando seus amigos ganham prêmios. Ficam felizes quando ouvem sobre um nascimento ou um casamento. Seu coração se parte quando morre uma amiga. Sofrem com a perda de um ente querido, entretanto são fortes quando pensam que já não há mais forças. Sabem que um beijo e um abraço podem ajudar a curar um coração partido. Entretanto, há um defeito na mulher: É que ela se esquece o quanto vale.



           






          www.familiaegraca.com.br



           






































          8 comentários em “MENSAGENS

          1. Bom dia,

            Eu gostaria de receber informações sobre a agenda, cursos, seminários, palestras… Somos líderes do Ministério de Casais de nossa igreja e gostaríamos de participar de cursos para nos edificar. Aguardo Renata

          2. Ola Pastor, ouço o teu programa todos os dias na gospel fm e é uma bençao na minha vida. Gostaria muito de tirar uma duvida com o senhor referente a um desejo que meu esposo esta tendo e nao estou conseguindo ficar em paz, se puder falar comigo por e-mail ou de outra forma agradeco muito, pois sei que o senhor tambem é terapeuta de casais!!!!obrigada e que Deus o abencoe

          3. queria o esbouço da mensagem nao basta ter talento é preciso profundidade de carater

          4. amo suas mensagens pois tenho aprendido muito para a minha vida que deus lhe abençoe+e+.

          5. Pastor estou passando por uma situação complicada morro com uma mulher temos um filho e não somos casados legalmente e nossa vida mudou completamente quando a conheci não tinha brigas nem discuções eramos uma casal quase feliz só faltava o casamento mais no dia que decidimos nos casar tudo mudou nos separamos e ela conheceu um outro rapaz e desse para mim que não me amava mais só que depois que eu descobrir tudo ela quiz que voltassemos para continuar a nossa história e dai em diante só temos brigado muito, muita gente já me falou para largar tudo e deixar ela só que eu não sinto esse desejo no meu coração de abandona-la e sim o contrario não quero deixa-la pois amo muito a minha esposa ou namorada e as vezes sinto que não estou com a garota que eu conhece a três anos atras. Pois o que devo fazer pois amo muito ela e não quero perder a minha familia por diabo. Sinto as vezes que ela esta possuida e não sei o que fazer só temos brigado muito por motivos insignificantes e vira uma grande confusão. Por favor pastor me ajuda não aguento mais essa vida de brigas só quero voltar a ter o relacionamento que eu tinha com ela quando eu a conheci sem brigas e sem confusões quero que ela volte a sentir o amor que ela sentia por mim. me ajuda pastor por favor.

          6. amei as mensagens me ajudou bastante pois faço parte da Igreja Adventista do Sétimo dia e trasbalho com o Ministério da família
            Obrigada
            Que Deus os abencoe

          7. Gostaria de sabe se no casamento o casal pode usar preservativos ou qualquer outro tipo de prevenção contra uma gravidez.

          Deixe um comentário

          Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

          Logotipo do WordPress.com

          Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

          Imagem do Twitter

          Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

          Foto do Facebook

          Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

          Foto do Google+

          Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

          Conectando a %s